ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Dono de Ecosport que caiu no córrego estava na "zona" e queria dar golpe

Por Vinícius Squinelo e Marcos Ermínio | 13/11/2013 22:56
Ecosport acabou dentro do córrego (foto: João Garrigó)
Ecosport acabou dentro do córrego (foto: João Garrigó)

O dono do Ford Ecosport, que caiu no córrego na avenida Ernesto Geisel, após perseguição policial, caiu “na mentira” e a polícia descobriu que ele estava dando o golpe do falso sequestro. Ele, que não teve o nome revelado pela polícia, estava em uma casa de prostituição e emprestou o carro para três buscarem drogas.

Segundo a delegada Maria de Lourdes Souza Cano, titular da Defurv (Delegacia Especializada em Furtos e Roubos de Veículos) e que apurou o caso, o homem saiu de casa na noite de ontem (12) afirmando que iria trocar o escapamento do carro.

Sem notícias, a família registrou um boletim de ocorrência na manhã de hoje (13) de desaparecimento, e a polícia começou a investigar o suposto sequestro.

Por volta das 20h30, guardas municipais encontraram o veículo, com três homens dentro, próximo rua Barão do Rio Branco, e iniciaram a perseguição. O condutor do carro empreendeu fuga, mas acabou caindo dentro do córrego na avenida Ernesto Geisel, bem em frente ao Shopping Norte Sul Plazza, após perder a direção.

O GM Peixoto pulou dentro do córrego e conseguiu prender um dos bandidos, identificado apenas pelo apelido de “Pateta”. Os outros dois, conhecidos como “Romário” e “Perninha” conseguiram fugir.

Neste meio tempo, o dono do carro voltou para casa, no bairro Taquarussu, falando que tinha sido “liberado pelos sequestradores”.

Delegada Maria de Lourdes desvendou o caso (foto: João Garrigó)
Delegada Maria de Lourdes desvendou o caso (foto: João Garrigó)

A mentira – Durante entrevistas com o preso e outras testemunhas, a delegada Maria de Lourdes descobriu que o dono do carro estava em uma casa de prostituição, realizando um “programa”.

Ele mesmo teria dado a chave do Ecosport aos três homens, supostamente para irem comprar drogas para eles usarem.
A mentira foi entregue até pela garota de programa que estava com o homem de 40 anos.

Agora, a polícia vai registrar outro boletim de ocorrência, por falsa comunicação de crime.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário