ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Em meio às cinzas, moradores do Mandela buscam materiais para reconstruir casas

Alguns móveis foram recuperados após incêndio ocorrido no fim da manhã desta quinta-feira

Por Mylena Fraiha e Geniffer Valeriano | 16/11/2023 17:09
Morador busca materiais de construção que restaram após incêndio na favela do Mandela (Foto: Juliano Almeida)
Morador busca materiais de construção que restaram após incêndio na favela do Mandela (Foto: Juliano Almeida)

Entre os destroços e cinzas, moradores da favela do Mandela iniciaram buscas por materiais de construção e móveis que restaram após incêndio que tomou a região no fim da manhã desta quinta-feira (16).

Alguns moradores já estão empenhados na reconstrução de suas casas, mesmo diante das perdas irreparáveis causadas pelo fogo. Um deles é Robert Ryan, de 23 anos, que mora há 8 anos no Mandela.

"Na hora do incêndio, consegui salvar alguns móveis, como geladeira e fogão. Só que muita coisa foi perdida. Agora estou construindo um quartinho para passar a noite pelo menos, utilizando telhas que conseguimos recuperar para criar uma cobertura."

Robert explica que coseguiu salvar fogão e geladeira durante incêndio (Foto: Juliano Almeida)
Robert explica que coseguiu salvar fogão e geladeira durante incêndio (Foto: Juliano Almeida)

Já Diana Marimar, de 28 anos, enfrenta uma situação mais desafiadora, pois teve perda total de sua casa de alvenaria. Com três filhos de 8, 5 e 3 anos, ela relata que não estava na residência durante o começo do incêndio.

“Eu estava trabalhando e minhas crianças estavam na creche, quando o incêndio começou. Nem tô acreditando que minha casa está toda destruída. Quando cheguei aqui, o fogo já estava perto da minha casa, então não consegui salvar nada.”

Emocionada, Diana relata que perdeu toda a casa durante incêndio (Foto: Juliano Almeida)
Emocionada, Diana relata que perdeu toda a casa durante incêndio (Foto: Juliano Almeida)

Mesmo com o cenário de prejuízo, Diana explica que se esforçou para ajudar os demais vizinhos. “Aproveitei para ajudar os vizinhos, mas eu perdi tudo. É uma vida toda, dá até dó. Agora não tem o que fazer mais."

Há quatro anos no Mandela, Antonio Marques Pereira relata que foi avisado do incêndio durante o seu expediente de trabalho no Ceasa (Centrais de Abastecimento de Mato Grosso do Sul), a 3 km de distância.

Sua casa, de alvenaria, foi consumida pelo fogo, e a esposa estava fora da cidade durante o ocorrido. "Saí cedo de casa, e ela estava toda mobiliada. Agora olha como ficou. É uma tristeza. Eu saí da minha casa, tomei água gelada, escovei os dentes, me vesti e fui trabalhar, mas agora perdi tudo. Só tenho essa roupa velha que estou vestindo", desabafa Antonio.

Emerson explica que irá reconstruir sua casa (Foto: Juliano Almeida)
Emerson explica que irá reconstruir sua casa (Foto: Juliano Almeida)

Em meio aos destroços, o homem identificado apenas como Emerson, 46 anos, explicou que tem buscado materiais para revender, se alimentar e reconstruir sua casa. "Agora é reconstruir tudo de novo", afirma ele.

Reivindicação - Durante visita da prefeita Adriane Lopes (PP), moradores do Mandela aproveitaram para cobrar o conjunto habitacional prometido em fevereiro aos residentes da comunidade. A chefe do Executivo chegou a ser escoltada pela Guarda Civil Metropolitana.

Em resposta, Adriane disse que o projeto está em fase de regulação ambiental e que, apesar de ter iniciado no ano passado, é um processo demorado. "É moroso e temos burocracias a serem respeitadas. Mas no momento do acidente vamos atender a todos que querem o acolhimento. Temos o serviços da prefeitura a toda comunidade. Ninguém vai ficar desatendido", disse.

Conforme a prefeita, moradores serão acolhidos no Cras (Centro de Referência da Assistência Social) Estrela do Sul, localizado na Av. Pref. Heráclito Diniz, e escolas da região norte de Campo Grande. Os que tiveram as casas atingidas pelo incêndio podem buscar ajuda e orientações no Cras. No local serão feitas distribuição de água e cestas básicas e inscrição no programa aluguel social.

A gestão também vai fornecer lonas, banheiros químicos e alimentação para aqueles que resolverem ficar no local. O Corpo de Bombeiros orientou moradores para que não habitem as residências que não foram atingidas, devido à intoxicação por fumaça.

Doações - Com o objetivo de auxiliar as famílias que perderam seus pertences no incêndio que devastou a favela do Mandela na manhã de quinta-feira (16), um grupo de mulheres da igreja, atuante na comunidade, deu início a uma campanha de coleta de mantimentos, roupas, itens de higiene pessoal e água.

Existem quatro locais designados como pontos de coleta:

  • Rua Tangará da Serra, 100 - Contato com Laura
  • Rua Antoninho Zandominigh, 7 - Contato com Jenyffer, Stefany, Leir
  • Rua Tangará da Serra, 61 - Contato com Jessica
  • Av. Dos Eucaliptos, 315 - Contato com Martha

A Prefeitura também lançou uma campanha de arrecadação, com os itens podendo ser entregues no FAC (Fundo de Apoio à Comunidade). A equipe estará disponível até a meia-noite de hoje para receber as doações e amanhã (17), a partir das 7h30.

Além de alimentos, a campanha solicita materiais de higiene, fraldas descartáveis, água mineral, produtos de limpeza, roupas, colchões, enxoval de cama e banho, bem como materiais de construção.

Interessados em contribuir podem se dirigir até a Avenida Fábio Zahran, 6000, Vila Carvalho. Informações adicionais também podem ser obtidas pelo telefone 67 2020-1361.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias