A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

15/09/2016 13:04

Em reconstituição, família não acredita que morte de vigilante foi acidente

Julia Kaifanny
A reconstituição aconteceu por causa de divergências entre depoimentos e laudos. (Foto: Alcides Neto)A reconstituição aconteceu por causa de divergências entre depoimentos e laudos. (Foto: Alcides Neto)

Familiares que acompanhavam a reconstituição do caso do segurança Celso de Jesus Gomes, 40 anos, morto em março deste ano, disseram não acreditar que o disparo tenha sido acidental. Ele morreu ao ser atingido com um tiro na testa enquanto trabalhava na agência do Itaú da Avenida Coronel Antonino. 

O tiro partiu da arma do também vigilante, Arivaldo Gadea Marcelino que teria deixado o revólver cair no chão com o tambor aberto no momento em que o entregaria para Celso. Arivaldo foi indiciado pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar e ficou preso por dois dias, mas pagou fiança e responde o processo em liberdade.

De acordo com o delegado Miguel Said, da 1ª Delegacia de Polícia de Campo Grande, a reconstituição da morte foi necessária porque existem alguns pontos divergentes entre o depoimentos e os laudos da perícia técnica. “É necessário fazer a simulação para que seja possível chegar mais perto daquilo que realmente aconteceu no dia do fato”, esclarece.

 

Eliane, esposa de Celso disse não acreditar em acidente. (Foto: Alcides Neto)Eliane, esposa de Celso disse não acreditar em acidente. (Foto: Alcides Neto)
O delegado disse que a polícia busca esclarecer o que realmente aconteceu no dia do fato. (Foto: Alcides Neto)O delegado disse que a polícia busca esclarecer o que realmente aconteceu no dia do fato. (Foto: Alcides Neto)

A esposa de Celso, Eliane Simões, 38 anos, esteve no local desde o início acompanhado de fora a reconstituição. Ela disse que preferiu não entrar porque o assunto ainda mexe muito com a família, mas que não acredita em acidente. “Chegamos aqui e ele nos virou as costas, nunca nos procurou para dar uma palavra de conforto, tenho três filhos e nunca tivemos uma versão dele, não acredito que tenha sido acidente, mas entrego nas mãos da Justiça e espero que o caso seja esclarecido” disse ela sobre Arivaldo.

A irmã, Aparecida das Graças Jesus também ressaltou que não acredita na hipótese de acidente e espera por justiça e esclarecimentos para que toda a família possa ficar em paz.

O laudo da reconstituição deve sair em 15 dias, até lá o indiciado continua em liberdade. Se não houver mais divergências o processo será encaminhado para o poder judiciário.

Segurança de banco morre após colega deixar arma cair no chão e disparar
Morreu no fim da tarde desta terça-feira (29) o segurança Celso de Jesus Gomes, 40, atingido na testa por um tiro enquanto trabalhava na agência do b...
Vigilante é atingido na cabeça por suposto disparo acidental de arma
Um homem, que trabalha como vigilante bancário, foi atingido por um tiro e encaminhado em estado grave para a Santa Casa de Campo Grande, no fim da t...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions