A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

03/01/2017 14:55

Em trecho de duas quadras, rua na região central tem 40 buracos

Christiane Reis e Marcus Moura
Buracos na Rua Levinda Ferreira geram inconvenientes para os motoristas. ( Foto: Marcus Moura) Buracos na Rua Levinda Ferreira geram inconvenientes para os motoristas. ( Foto: Marcus Moura)

Novos buracos que surgiram, antigos que após serem tapados, reapareceram. Alguns locais, vias até consideras de curta extensão, apresentam muitas dificuldades para quem precisa passar por elas. A Rua Levinda Ferreira, na região central, é um exemplo. Em um trecho de apenas duas quadras a reportagem contou 40 buracos.

“Meu filho até já furou pneu ao cair em um buraco que ele não viu”, conta a aposentada Luisa Martins, 63 anos. Comerciante na região, Gilberto Araka, 41 anos, acrescenta que os clientes reclamam de terem de, o tempo todo, desviar dos buracos. “Fica difícil para eles, porque, em algumas situações precisam dar a volta na quadra para poder parar aqui”, disse.

Segundo ele, a rua recebeu equipes que atuaram na operação tapa-buraco. Há quase seis meses o trabalho foi feito, “mas os buracos voltaram a aparecer”, disse Gilberto Araka.

Retomada – Na segunda-feira (2), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) fechou acordo com as três empresas que ainda têm contratos para o tapa-buraco em Campo Grande e 17 equipes serão colocadas nas ruas da Capital para fazer o serviço. A informação foi dada após reunião a portas fechadas do chefe do Executivo municipal com representantes da Pavitec, Selco e Wala Engenharia.

Atualmente, as três empresas têm contratos que estão para vencer até julho, segundo informou o secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Rudi Fiorese, na manhã de segunda-feira. Por isso, uma nova licitação deve ser lançada para contratar empreiteiras especializadas neste tipo de reparo.

Marquinhos disse, entretanto, que não tem data para retomar a concorrência e que por enquanto, vai esperar o Judiciário se manifestar sobre processo licitatório que havia sido impugnado.



Nenhum trabalho de "tapa buracos" irá resolver os problemas enquanto não for refeita a pavimentação em diversas ruas da cidade. Apesar das normas técnicas especificarem em detalhes como deve ser realizada a pavimentação, com base de pedras e camada espessa de asfalto, em Campo Grande sempre foi usada uma técnica precária e inaceitável: uma fina camada de asfalto aplicada diretamente sobre a terra batida. O resultado? Mesmo locais com tráfego leve têm problemas frequentes com buracos, e o custo permanente de reparos. Por que não fazer bem feito desde a primeira vez?
 
Luiz Pereira em 03/01/2017 16:05:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions