A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

22/07/2014 19:31

Enfermeiros lotam plenário na Câmara para pedir melhores condições de trabalho

Alan Diógenes
Enfermeiros lotaram plenário e com cartazes reivindicaram melhores condições de trabalho. (Foto: Marcelo Victor)Enfermeiros lotaram plenário e com cartazes reivindicaram melhores condições de trabalho. (Foto: Marcelo Victor)
O vereador Mario Cesar ouviu os servidores e disse que vai se reunir com o prefeito e ver o que pode ser feito para a categoria. (Foto: Marcelo Victor)O vereador Mario Cesar ouviu os servidores e disse que vai se reunir com o prefeito e ver o que pode ser feito para a categoria. (Foto: Marcelo Victor)

Integrantes da AECGR (Associação dos Enfermeiros de Campo Grande e Região) se reuniram, na noite desta terça-feira (22), com o presidente da Câmara Municipal, vereador Mario Cesar (PMDB) para reivindicar redução da jornada de trabalho, melhores salários e inclusão na referencia 15 do quadro de pessoal da prefeitura, onde estão inclusos médicos e dentistas da rede pública de Campo Grande. A reunião aconteceu no Plenário Edroim Reverdito e contou com aproximadamente 100 enfermeiros.

De acordo com a presidente da associação, Sônia Maria Correia dos Santos, os servidores atualmente trabalham cerca de 40 horas por semana, diferente do previsto que são 30h trabalhadas. Outro pedido dos enfermeiros, é que eles sejam incluídos na referência 15 do quadro de pessoal da prefeitura, onde estão os médicos e os dentistas. “Todos os enfermeiros possuem nível superior e deveriam estar na referência 15. Eles trabalham até mais que os médicos, possuem a legalidade de prescrever medicamentos e fazer consultas, por que não estar na mesma categoria”, explicou.

Um dos membros da associação, Jorcilei Alvarenga, citou outra reivindicação da categoria. Ele afirma que existe uma defasagem nos salários pagos aos médicos e dentistas para os que são pagos para os enfermeiros, apesar de desenvolveram quase os mesmos tipos de atividades. “Hoje um enfermeiro ganha R$ 2 mil para trabalhar 40h por semana, enquanto o médico e o dentista ganha R$ 5 mil para cumprir 20h semanais. Estamos sendo desvalorizados e escravizados desde as administrações passadas. Não temos nem condições de nos profissionalizar por não ganhar dinheiro o suficiente para ir a congressos de enfermagem”, informou.

Durante a reunião, o vereador Mario Cesar disse que a Casa de Leis já havia feito um projeto de lei que atendesse aos enfermeiros, mas houve uma inconstitucionalidade na proposta, por que, segundo ele, cabe ao Executivo tomar as decisões quanto à categoria. Apesar da declaração, o parlamentar falou que vai ter um diálogo com o prefeito Gilmar Olarte (PP) e estudar o que pode ser feito dentro do orçamento para atender os servidores. “Eles não estão satisfeitos e precisam ser reconhecidos pelo seu trabalho. Vamos estudar com o prefeito o que pode ser feito neste caso”, salientou.

Questionada se já procurou o chefe do Executivo para mostrar a situação dos enfermeiros, a presidente da AECGR comentou que duas reunião foram marcadas por Gilmar Olarte, mas acabaram sendo desmarcadas por ele mesmo. A expectativa é que ele atenda aos servidores no dia 25 deste mês, data de outra reunião marcada.

Nesta reunião, os servidores irão pedir para o prefeito usar uma verba do SUS (Sistema Único de Saúde) para melhorar as condições de trabalho dos mesmos. Essa proposta já tinha sido feita pelo prefeito, mas em relação aos agentes comunitários de saúde. Se as reivindicações dos enfermeiros não foram atendidas na reunião, eles já alertaram que podem realizar uma manifestação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions