ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  21    CAMPO GRANDE 18º

Enquetes

Enquete aponta que 68% dos leitores temem perder o emprego na pandemia

Enquanto a maioria teme ser mandada embora outros 32% se sentem seguros em seus empregos

Por Adriano Fernandes e Aletheya Alves | 08/08/2020 08:22
Atendimento na Funsat em Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)
Atendimento na Funsat em Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

Além do prejuízo em vidas, a pandemia do coronavírus também teve um impacto na economia. Com menos gente nas ruas, o consumo diminuiu em diversos setores e, consequentemente, algumas empresas não estão conseguindo “segurar as pontas” e demitindo seus funcionários.

Diante deste cenário, o Campo Grande News foi às ruas perguntar se o  coronavírus, aumentou o medo de perder o emprego? A enquete do dia mostrou que 68% dos leitores do site, temem ser mandados embora, enquanto outros 32% não temem.

A doméstica Dilvane Sipriana da Silva, de 33, é uma das trabalhadoras que viram o saldo bancário no fim do mês diminuir, drasticamente em meio a pandemia.

O medo aumenta sim. Eu trabalho com diária e já perdi todas, só restou uma fixa. É a única que eu tenho, então fico pensando o que vou fazer se perder essa também. Lá em casa minha mãe tá trabalhando também, mas não adianta a gente tá mais apreensivo com a pandemia.

A comerciante Débora Frutuoso Benedita, de 34 anos, também é da ala dos empresários que se viram obrigados a mandar seus funcionários embora.

Tenho um mercado e a gente já precisou demitir dois funcionários. As coisas estão complicadas com o coronavírus, então o medo é de que mais estabelecimentos continuem fechando e a gente perca ainda mais. Se piorar, a minha situação também fica comprometida.

Já Aildson Cristaudo, de 47 anos, felizmente, é um dos trabalhadores que pode continuar comemorando por ter o seu salário garantido no final do mês, mesmo diante da pandemia.

Eu trabalho com manutenção de UBS (Unidade Básica de Saúde), então acho que pra mim está garantido o serviço. Fico prestando atenção pra ver se a situação não muda, mas até agora estou meio tranquilo e sem medo de demissão.

Preocupante – Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia divulgados em junho, Mato Grosso do Sul fechou 1.992 postos de trabalho no mês de maio. Em abril, quase 7 mil empregos com carteira assinada foram extintos no Estado.

Por outro lado, o Ministério do Trabalho, também mostrou que o Estado encerrou o mês de junho com abertura de 1,4 mil vagas de trabalho formal.