A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/03/2015 09:52

Entidades protestam contra prisão de três travestis por racismo e desacato

Michel Faustino
Presidente da ATMS critica tratamento indiferente da polícia em casos envolvendo travestis. (Foto: Marcos Ermínio)Presidente da ATMS critica tratamento indiferente da polícia em casos envolvendo travestis. (Foto: Marcos Ermínio)

Entidades de direitos humanos e homossexuais se mobilizaram, na manhã de hoje (12), para tentar soltar três travestis que foram detidas na madrugada de quarta-feira (11) após se envolverem em uma briga generalizada com um grupo de moto-taxistas na Avenida Afonso Pena com a Rua 13 de julho. As travestis foram indiciadas pelos crimes de injúria racial e desacato. Elas teriam chamado um moto-taxista de “macaco” e ofereceram resistência a prisão.

A presidente da ATMS (Associação das Travestis e Transexuais de Mato Grosso do Sul), Cris Stéfanny, questiona o fato de somente as travestis terem sido presas, tendo em vista que a briga foi provocada por um moto-taxista que teria feito “chacotas” e direcionado diversos termos pejorativos a elas.

“A briga começou porque elas estavam passando e eles começaram a mexer. Eles chamaram elas de viado de uma forma depreciativa e quando uma delas foi tirar satisfação a briga começou”, diz.

Segundo a presidente da ATMS, o grupo era formado por cerca de 15 moto-taxistas e nenhum deles foi punido, nem pela briga, e nem pelo fato de também terem descriminado as travestis.

“É sempre assim. Eles começaram a briga, bateram nelas, xingaram e ainda chegaram na delegacia fazendo gracinha. Ninguém teve a mesma punição do que elas. Elas também foram agredidas, hostilizadas e sofreram descriminação”, completou.

De acordo com a representante um pedido foi feito junto a Defensoria Pública para que as travestis respondam pelos supostos crimes em liberdade. O grupo agora aguarda a chegada do delegado titular da 1ª DP (Delegacia de Policia Civil), Devair Aparecido Francisco.

Caso - As três travestis e um menor foram parar na delegacia após se envolverem em uma briga com um grupo de moto-taxistas no centro da Capital. Foram presos, Giovane Ribeiro Xavier, 21 anos; Sérgio Magalhães de Souza Júnior, 23 anos e Juarez Barbosa Silvestre, 21 anos. A polícia só divulgou os nomes de batismo das travestis envolvidas.

Na delegacia, um dos moto-taxistas alegou que foi chamado de “macaco” pelas travestis e por isso a briga teria sido iniciada.

Na ocasião, elas foram indiciadas por desacato e desobediência, por ter oferecido resistência a prisão, além de injúria racial, sem direito a fiança.

Travestis chamam moto-taxista de macaco e desacatam policiais na Ary Coelho
Desentendimento entre moto-taxistas e travestis na madrugada desta quarta-feira (11), na praça Ary Coelho, em Campo Grande, acabou na polícia. Os pol...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions