A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018

03/10/2018 20:16

Enxurrada deixa rastro de barro nas obras da 14 de Julho

Geisy Garnes
Galera sob o nível do asfalta foi danificado pela chuva. (Foto: Geisy Garnes) Galera sob o nível do asfalta foi danificado pela chuva. (Foto: Geisy Garnes)

A tempestade que atingiu Campo Grande na tarde quarta-feira (3) também trouxe prejuízos para as obras de revitalização da rua 14 de julho. Com a chuva, túneis cavados para instalação de tubulação ficaram alagados e parte do arenito, material colocado antes da massa asfáltica, também foi levado pela enxurrada.

Em toda a extensão da rua, o rastro de barro sinalizava a força da águas ao passar pela obra. No trecho entre a avenida Fernando Corrêa da Costa e a rua 26 de Agosto, onde o asfalto já está pronto, parte da calçada de paralelepípedo foi levada. Conforme a prefeitura, uma área aproximado de 40 m² ficou danificada.

Nas laterais do asfalto, onde são instaladas as tubulações, a água abriu novas crateras. Entre o trecho da rua 15 de novembro a avenida Afonso Pena, os túneis recém abertos ficaram alagados. “Agora precisamos esperar secar para poder mexer, tirar a terra que ficou”, explicou um dos funcionários da obra.

O asfalto recém feito no trecho Antônio Maria Coelho e Maracaju também ficou danificado. As laterais, ainda inacabadas, também foram levadas pela enxurrada.

Segundo a prefeitura, apesar disso, as obras de retenção da água na avenida Fernando Corrêa da Costa - por conta do transbordamento do córrego Prosa - e também na esquina da rua Maracaju com a 14 de Julho - pelo transbordamento do córrego Segredo - não sofreram danos.

Ainda conforme a prefeitura, foram comunicadas ocorrências de “ falta de capacidade dos dutos internos de escoamento de água de chuva” em três imóveis.

A tempestade desta quarta-feira aconteceu em virtude ao choque entre a chegada de uma frente fria com o calorão que predominava na Estado. Segundo o meteorologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) Marcelo Schneider, o ponto mais forte do fenômeno foi por volta das 15h30 quando a estação meteorológica, localizada na zona norte da Capital, captou ventos de até 70 quilômetros por hora.

Confira a galeria de imagens das obras após o temporal**




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions