A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/03/2012 20:59

Estelionatário usava até nome do governador para aplicar golpes

Paula Maciulevicius e Viviane Oliveira

Bryan Correia Pulguério, que se identificava como Anderson Andrade Correia Puccinelli, já tem extensa ficha criminal desde 2007

Depois de ter a foto divulgada pela Polícia, Bryan foi preso enquanto estava na prefeitura (Foto: João Garrigó)Depois de ter a foto divulgada pela Polícia, Bryan foi preso enquanto estava na prefeitura (Foto: João Garrigó)

Acima de qualquer suspeita. Bem vestido e ainda adotando o sobrenome “Puccinelli”. Assim é o estelionatário preso na tarde desta terça-feira (27) pela Guarda Municipal, em Campo Grande. Apesar de jovem, Bryan Correia Pulguério, 22 anos, que se identificava como Anderson Andrade Correia Puccinelli, já tem extensa ficha criminal desde 2007.

Depois de ter a foto divulgada pela Polícia, Bryan foi preso enquanto estava na Prefeitura. Conhecido por dar golpes, a Polícia Civil calcula que só neste ano ele tenha feito pelo menos quatro vítimas, entre elas um taxista e uma jovem de 24 anos.

Segundo o delegado Wellington de Oliveira, Bryan era tão convincente que chegou até a receber um almoço da família de uma das vítimas. Na lábia, o estelionatário conseguia chegar até a fraqueza da pessoa e depois de ganhar a confiança, conseguia dar o golpe.

Para o taxista, vítima do dia 13 de janeiro, ele fingiu que conversava com uma pessoa ao telefone, enquanto pegava a corrida, dizendo que não poderia receber a quantia de R$ 5 mil em sua conta corrente. Ao final da ligação ele contou do “problema” ao motorista que ofereceu a própria conta bancária para o depósito.

Durante a ação, Bryan e o taxista pararam no shopping Norte Sul, desceram e se dirigiram direto ao caixa eletrônico. No momento em que a vítima foi conferir o extrato bancário, o estelionatário colocou outro comprovante por cima, que mostrava a transferência de R$ 5 mil.

Depois da suposta transferência, o jovem pediu ao taxista que então comprasse a ele um notebook e um celular. Pela “ajuda” na transferência ele receberia R$ 200.

As compras dos eletrônicos totalizaram aproximadamente R$ 4 mil. No fim das contas, o taxista esperou por meia hora dentro do carro, até se dar conta de que Bryan havia fugido.

Segundo o delegado Wellington de Oliveira, Bryan se aproveitava da fragilidade das vítimas para aplicar o golpe. “Ele é o típico estelionatário, chega para conversar, vê a dificuldade da vítima e vai em cima da sua necessidade”, comenta.

No caso da jovem de 24 anos, a vítima foi abordada por uma mulher enquanto distribuía currículos no shopping Campo Grande. A mulher agendou uma entrevista de emprego para a jovem que foi realizada no dia 24 de fevereiro.

A vítima se encontrou com a mulher e Bryan em frente à prefeitura, onde estava marcado e de lá partiram para a Promotoria, com a justificativa de que Bryan precisava encontrar um advogado. Durante a suposta entrevista, Bryan pediu os documentos da jovem para registrá-la como recepcionista. Documentos que ainda não foram devolvidos à jovem.

Segundo registro policial, alguns dias depois, Bryan chegou a dizer para a vítima que lhe daria um carro. Os dois até fizeram um test drive e também foram visitar um imóvel para comprar. Situações que foram presenciadas também por familiares da jovem. A vítima só procurou a Polícia por não ter os documentos devolvidos.

Bryan vai responder por estelionato e furto, com pena prevista de dois a oito anos de reclusão. A Polícia pede para que outras pessoas que foram vítimas do estelionatário que vá até a delegacia, localizada na rua Padre João Crippa, 1.581 ou entrem em contato pelo telefone 3312-5700.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


Bom gente esse cara, era meu "amigo" de infancia estudamos juntos, ele sempre dizia q gostava de mim, ficamos uns dois dias ai ele sempre sumia dizia q era cantor e q não poderia me levar em turnes q ele fazia, disse até q conheceu a Britney Spears não acreditei, mais ele ficou uns 6 meses longe, depois voltou dizendo q estava com saudade e queria casar comigo, eu falei q era muito nova mais ele insistia eu aceitei o namoro e ele disse q quando voltasse de outra turnê iria me pedir em casamento novamente e iriamos morar no EUA. Imagine vcs acham q eu acreditei... NÃO, nunca q eu iria acreditar em uma barbaridade dessa, se dizia amigos de muitos famosos.
Merece sim ser preso e por muitos e muitos anos!!!
 
Pâmela Ossuna em 23/10/2013 18:22:49
Esse maluco já foi na minha casa, conheço ele, já fez algumas promessas malucas dessas, inclusive disse que era amigo do Michel Teló e da Ivete Sangalo.
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.
 
Oswaldo Benites em 30/03/2012 11:50:47
Parabéns ae pessoal da Guarda Municipal,cada vez mais atuante!!!
 
Diego Santos em 29/03/2012 02:17:18
Ta de Parabéns a Guarda Municipal...
 
Luciano Martins em 28/03/2012 11:10:21
Infelizmente os estelionatarios se aproveitam da própria ambição e interesse que as próprias vítimas tem em querer as coisas no famoso jeitinho brasileiro e da maneira menos trabalhosa. não estou afirmando que e´o caso dessas vítimas, mas todos conhecem o golpe do bilhete premiado, só cai quem é ganancioso e acha que vai se dar bem!
 
celso fernando em 28/03/2012 09:31:02
É uma pena. Tão jovem e tão envolvido com essas coisas. Podendo trabalhar honestamente, preferiu o caminho mais curto e agora pagará por seus crimes. Muito triste...
 
Christian da Costa em 28/03/2012 07:35:42
Já dá pra imaginar o roteiro de um filme. Esse cara é um "artista" do crime, rs...
 
Márcio Patrocinio em 28/03/2012 07:16:20
Quando vi a reportagem fiquei até que surpresa. Tem uns dois anos já, esse cara me ofereceu uma vaga de emprego em um escritório de advocacia, fiquei até interessada mas desconfiei e não aceitei, percebi q seria algum tipo de golpe quando começou a falar q tinha um irmão gêmeo e era parente do governador. Um canalha ele, mto bem! E agora q fiquei preso por mto tempo.
 
Juliana Maja em 28/03/2012 01:45:50
Cadeia nele!
 
Diogo Maidana em 27/03/2012 10:20:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions