A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

12/06/2014 18:45

Estreia do Brasil lota bares e torcedor paga até R$ 200 por mesa

Lidiane Kober e Filipe Prado
Estreia do Brasil lota bares e torcedor paga até R$ 200 por mesa
Animados, torcedores lotaram bares de Campo Grande (Foto: Cleber Gellio)Animados, torcedores lotaram bares de Campo Grande (Foto: Cleber Gellio)

A estreia da Seleção Brasileira de Futebol lotou bares de Campo Grande e teve torcedor que pagou até R$ 200 por mesa. Alguns se emocionaram com a partida e outros criticaram o desempenho da equipe.

Na Cerv Já, o proprietário Francisco José Avesani fechou o drive thru para abrir mais espaço aos clientes, que lotaram todos os ambientes do estabelecimento. Ele ainda espalhou cinco televisores de 42 polegadas para transmitir a partida.

Acostumado da frequentar o bar, Wéverton Ribeiro, de 21 anos, chegou a se ajoelhar para agradecer o segundo gol da seleção. Além de curtir a vitória, ele tirou lucro da Copa.

Teve gente que pagou R$ 200 por mesa (Foto: Cleber Gellio)Teve gente que pagou R$ 200 por mesa (Foto: Cleber Gellio)
Torcedores foram com amigos assistir a partida (Foto: Cleber Gellio)Torcedores foram com amigos assistir a partida (Foto: Cleber Gellio)
Famílias unidas na estreia da Seleção (Foto: Cleber Gellio)Famílias unidas na estreia da Seleção (Foto: Cleber Gellio)
O clima foi de animação nos bares da Capital (Foto: Cleber Gellio)O clima foi de animação nos bares da Capital (Foto: Cleber Gellio)

“Em um bolão, com 50 pessoas do meu condomínio, apostei no placar de 3 a 1”, contou. Cada um dos integrantes, desembolsou R$ 100.

Douglas da Silva Teixeira, de 24 anos, levou a esposa e a filha de 1 anos para assistir com os amigos a partida na Serv Já. “O pessoal está muito animado e confiante”, comentou sobre a Copa.

Já o bar Mercearia mudou a rotina e decidiu vender a R$ 200 a mesa, com quatro lugares. Mesmo criticando a seleção, Rodrigo Araújo, de 29 anos, foi ao estabelecimento assistir a estreia do Brasil.

“Foi um jogo ruim, o segundo gol foi comprado, o juiz roubou para o Brasil. Com essa escalação, o time não chega a final, mas como é roubado vai chegar”, disse.

Com o namorado e dois amigos, Maria Luiza Mattos, de 35 anos, também pagou para assistir o jogo no bar. “Sempre frequentamos aqui e, com a venda das mesas, garantimos um ambiente tranquilo”, analisou. Além de comercializar as mesas, a gerência cercou o bar.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions