ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Execução de agente penitenciário durou 15 segundos, constata perícia

Primeiros levantamentos apontam que vítima não teve como se defender

Juliene Katayama e Renan Nucci | 11/02/2015 08:21
Perícia já viu imagens das câmeras de segurança que revelou como foi a ação (Foto: Marcelo Calazans)
Perícia já viu imagens das câmeras de segurança que revelou como foi a ação (Foto: Marcelo Calazans)

A ação que matou o agente penitenciário Carlos Augusto Queiroz de Mendonça, 44 anos, durou entre 12 e 15 segundos, conforme revela a perícia. Além disso, a vítima foi atingida por quatro disparos e não teve tempo de se defender.

O delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, Bruno Henrique Urban, viu as imagens das câmeras de segurança. “O autor chegou às 5h40, sozinho, foi à recepção e disparou cinco tiros”, disse.

Ainda de acordo com a perita Regina Dias, o autor não disse nada, apenas chegou foi até a vítima e disparou cinco vezes, atingindo quatro balas em Mendonça. O quinto disparou acertou o computador e ficou alojada na parede. O material foi levado para análise, mas a arma utilizada pode ter sido calibre 38.

Conforme os primeiros levantamentos da polícia, a vítima não teve tempo de reagir. Assim que chegou na recepção, o autor acertou dois tiros no abdômen. Mendonça tentou correr, mas caiu. O autor disparou mais dois tiros, acertando as costas.

Por causa da posição das câmeras, ainda não foi possível ter mais detalhes do autor que além do capuz estava com capacete e blusa de manga comprida. Também não se conhece as motivações do crime já que a vítima não vinha recebendo ameaças.

Nos siga no Google Notícias