A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

20/03/2019 17:01

Falta de manutenção em apartamento alaga imóvel e família perde móveis

Danielle Valentim
Andreia, moradora de apartamento que ficou alagado devido falta de manutenção em imóvel no andar de cima (Foto: Danielle Valentim)Andreia, moradora de apartamento que ficou alagado devido falta de manutenção em imóvel no andar de cima (Foto: Danielle Valentim)

Além de alagar ruas e avenidas, a chuva que cai sobre Campo Grande nesta quarta-feira (20) causou prejuízos para diversos moradores da cidade. No Jardim Tijuca, o apartamento de uma moradora foi invadido pela água. A suspeita é de que a falta da manutenção e limpeza em um apartamento no andar de cima tenha favorecido o transtorno.

Síndico do residencial Tijuca II, que não quis ter o nome divulgado, disse que por falta de manutenção de um morador, a água da chuva acumulou na varanda e invadiu um segundo apartamento.

A moradora Andreia Aparecida Afonso de Oliveira Santos, de 32 anos, disse que o problema se arrasta por 4 anos. Mãe de três filhas, sendo uma 7 anos, outra de 3 anos e uma bebê de dois meses, ela se desesperou com a água invadindo seu apartamento.

“Meu marido está no trabalho e eu fiquei com medo de cair o teto”, relatou. A moradora chegou a entrar em contato com o Corpo de Bombeiros, porém foi informada que os militares apenas poderiam fazer alguma coisa caso o imóvel estivesse apresentando algum dano.

“Os bombeiros disseram que estamos em risco, mas que eu tenho que pedir um laudo particular”, afirmou. A água invadiu principalmente o quarto da moradora. A cama de casal que estava no cômodo, assim como outros móveis, molharam. A preocupação da família é com a sujeira, provocada principalmente pela presença de pombos no andar de cima. Por isso, a cama não “está em condições de uso”, afirma a moradora.

O apartamento “causador” do problema está vazio desde que os proprietários trocaram o imóvel em uma chácara. Por telefone, os responsáveis teriam dito a morada prejudicada que eles “não tinham culpa de São Pedro mandar água”, revelou Andreia.

Mais cedo, a chuva também rendeu prejuízo para uma família no Jardim Uirapuru, na região sul de Campo Grande. Carla Avelino Oliveira, de 36 anos, chegou com o marido por volta de 12 horas e preparava as duas filhas para a escola, quando perceberam as primeira goteiras na sala. "Chamei meu marido para ver e quando ele olhou já estava jorrando água por todas as tomadas", conta.

O casal comprou a casa por financiamento há 3 anos e, desde então, pede ressarcimentos na Justiça, por conta dos inúmeros problemas estruturais. Hoje, as infiltrações no teto alagaram a casa.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions