A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

29/02/2012 19:36

Família de jovem que morreu durante racha sai satisfeita de julgamento

Elverson Cardozo e Nadyenka Castro
Anderson Moreno foi condenado a 18 anos e 9 meses de prisão. Já Willian Jhonny foi absolvido pelo crime de homicídio doloso e condenado apenas pelos crimes de embriaguez ao volante. (Foto: João Garrigó)Anderson Moreno foi condenado a 18 anos e 9 meses de prisão. Já Willian Jhonny foi absolvido pelo crime de homicídio doloso e condenado apenas pelos crimes de embriaguez ao volante. (Foto: João Garrigó)

Familiares de Mayana de Almeida Duarte, que morreu durante racha no trânsito de Campo Grande, saíram satisfeitos com a sentença proferida ao réu Anderson de Souza Morena, de 20 anos, na tarde desta quarta-feira (29).

A mãe de Mayana, Marisete Sandim Almeida, acredita que a justiça foi feita e espera que o crime sirva de exemplo a outras famílias. “Passo a acreditar mais na justiça”, disse.

Já a irmã do réu, Jaqueline Gomes, de 38 anos, também se diz satisfeita com a condenação do jovem e afirmou que a situação é um sofrimento para as duas famílias.

À irmã, Anderson relatou que não pretendia cometer o crime e que tudo foi uma fatalidade. O jovem, segundo Jaqueline, queria acabar de vez coma história que deixou a família abalada e desestruturada.

Ao Campo Grande News, a irmã do réu afirmou ainda que o pai de Anderson já perdeu um filho de 12 anos, vítima de acidente no trânsito. “Ele tem um filho no banco dos réus e enterrou outro no mesmo jeito” , disse, se referindo ao fato.

Condenação - Anderson de Souza Moreno, de 20 anos, acusado pela morte de Mayana de Almeida Duarte durante racha na Avenida Afonso pena em 2010, foi condenado a 18 anos e 9 meses de prisão nesta quarta-feira (29). A pena é inédita em Mato Grosso do Sul porque envolve homicídio no trânsito, racha, embriaguez e transposição do sinal vermelho.

Já Willian Jhony de Souza Ferreira, que no dia do crime participou do racha com Anderson, foi absolvido pelo crime de homicídio doloso e condenado apenas pelos crimes de embriaguez ao volante e racha. A pena prevista é de 2 a 4 anos de detenção em regime aberto ou semi-aberto.

Entenda o caso - Na madrugada do dia 14 de julho de 2010, Anderson de Souza e Willian Jhonny disputavam racha na avenida Afonso Pena, sentido bairro-centro.

Anderson conduzia um Vectra à 110 quilômetros por hora e passou à frente de Willian, que dirigia um Fiat Uno.

No cruzamento com a rua José Antônio, o Vectra bateu no Celta que era conduzido por Mayana. Testemunhas afirmaram que o jovem “furou” o sinal vermelho.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions