ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUINTA  24    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Anderson pega 18,9 anos pela morte de Mayana; Willian se livra da prisão

Por Marta Ferreira e Nadyenka Castro | 29/02/2012 18:17
Anderson e Willian ouvem a leitura da sentença. (Foto: Marlon Ganassin)
Anderson e Willian ouvem a leitura da sentença. (Foto: Marlon Ganassin)

Foi condenado nesta tarde à pena de 18,9 anos Anderson Moreno, réu pela morte da estudante Mayana Moura, morta em junho de 2010, após o veículo em que ela estava ser atingido pelo carro ocupado por Anderson. Ele estava disputando racha, segundo admitiu Willian Jhony, o outro réu no processo.

A confissão de Willian Jhony o livrou da acusação de homicídio. Ele foi condenado pelos crimes de trânsito e não deve ficar preso.

"É uma pessoa que não vê limite nas suas condutas", definiu o juiz Aluizio Pereira dos Santos sobre Anderson Moreno na sentença em que definiu a pena. Moreno pegou 17 anos pelo homicídio doloso e 1,8 anos pela prática de racha e por dirigir embriagado.

O Tribunal do Júri começou às 8h e terminou por volta das 17h30, em Campo Grande. O acidente aconteceu na madrugada do dia 14 de junho de 2010, na avenida Afonso Pena, no cruzamento com a José Antônio. Mayana morreu 10 dias depois no hospital.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário