ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Família pede socorro, mas pai não deixa Samu atender menino de 4 anos

Por Filipe Prado | 30/11/2013 17:11

Depois do pai de um menino de quatro anos, que sofre de coqueluche, pedir socorro ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), ele consegue atendimento para o filho. Segundo o serviço de urgência, eles atenderam o chamado, mas foram frustrados pelo pai do garoto.

A médica reguladora do Samu, Lauren Lopes Ramos, comenta que eles realizaram orientação adequada ao pai, João Antonio dos Santos Cardoso, 24. “Ele nos ligou por volta das 13h, mas só pediu uma orientação. Nós avaliamos o caso, falamos para ele ver se a criança estava consciente e perguntamos se ele queria que uma ambulância fosse prestar atendimento, mas ele negou e disse que iria com um carro próprio”.

Segundo Lauren, um tempo depois João retornou a ligação para Samu, pois não tinha conseguido meios de levar o filho ao médico. “Ele disse que o carro estava estragado, que estava sem condições de levar a criança, então eu encaminhei uma ambulância até a sua casa, mas eu sei que ela demorou um pouco”.

Ao chegarem à casa, os motoristas do Samu relataram a agressividade do pai do menino. “Eles me disseram que ele estava muito agressivo e não deixou a equipe levar a criança para o médico, então eu autorizei que eles viessem embora, para eu tentar o atendimento pelo telefone”, comenta Lauren.

Criança – Segundo João, o menino já foi levado pelo Corpo de Bombeiros para o UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida e aguarda atendimento dos médicos. Anderson passa bem.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário