A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

12/07/2012 02:21

Festa de torcida tem combinação de risco: jovens, álcool e nada de fiscalização

Marta Ferreira e Nyelder Rodrigues
Jovens tiveram oferta de bebida à vontade, sem fiscalização. (Foto: Minamar Junior)Jovens tiveram oferta de bebida à vontade, sem fiscalização. (Foto: Minamar Junior)

A noite de espera e de comemoração dos palmeirenses em Campo Grande pelo título da Copa do Brasil repetiu um cenário que tem se transformado em risco de morte para jovens: a alegria turbinada pela bebida alcoólica, sem distinção de idade. Copos, latas e garrafas de cerveja e vodka eram encontradas pelo chão, e nas mãos.

No local onde se concentraram os palmeirenses, na avenida Mato Grosso, alguns foram abordados pela reportagem, e todos garantiam ter 18 anos ou mais, ainda que aparência fosse de menos idade. Nenhum quis se identificar e dar entrevista.

Havia policiamento, mas assim como tem ocorrido em outras concentrações de público, a preocupação era em evitar tumultos. Em conversa sobre as ocorrências com um policial militar que trabalhava na festa, ele apontou que a responsabilidade de fiscalizar a venda de bebidas alcoólicas para adolescentes era de outro órgão.

“A Polícia Militar (PM) tem que garantir a segurança pública. Fiscalizar a venda de bebidas para menores é função do juizado de menores. Nós fazemos apenas uma verificação superficial”.

Assunto difícil- A mesma recusa em conversar com a reportagem sobre o consumo livre de bebida alcoólica verificada entre os adolescentes se repetiu com os aparentemente adultos. Alguns até eram receptivos no início, por causa da festa pelo tão aguardado título, mas quando revelado o tema, logo vinha e negativa.

Em um dos bares visitados, apenas uma pessoa, sem se identificar, resumiu um pensamento de risco comum. “É uma festa e todo mundo está bebendo. É só tomar cuidado, não correr, que não mata ninguém”, comentou o torcedor.

Ao final da partida, várias pessoas seguiam com cerveja nas mãos em direção aos veículos. Se aproveitando da falta de fiscalização na avenida Mato Grosso, saíam dirigindo sem enfrentar problemas.

Na avenida Afonso Pena, tradicional ponto de comemoração das torcidas, a Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito) esteve presente com várias viaturas, para controlar o tráfego e evitar tumultos. Fiscalização em relação ao consumo de bebida, que é proibido em Campo Grande em locais públicos por lei, não foi vista pela reportagem.

No chão, o que restou da vodka e da cerveja consumidas na festa.No chão, o que restou da vodka e da cerveja consumidas na festa.
Polícia estava no local, mas para evitar tumultos. Não havia outros órgãos de fiscalização. Polícia estava no local, mas para evitar tumultos. Não havia outros órgãos de fiscalização.
Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...


CADE A DEAIJ ? JUIZADO DA INFÂNCIA E JUVENTUDE? DEOPS ? DECON ? MINISTERIO PUBLICO ? CONCELHO TUTELAR ? ÓRGÃOS DA PREFEITURA COMO O SEMUR ETC. PORQUE COBRAM APENAS DA PM ???????? PORQUE NÃO SE COBRA DE TODOS ???
 
Emerson de Oliveira em 12/07/2012 12:25:30
Por que é que ninguém falou nada da comemoração do corinthians? sera que eles não beberam?
 
SUZI DOS SANTOS ARAUJO em 12/07/2012 11:28:17
Todo mundo cobra da PM e da Policia Civil, parece que só esses órgãos trabalham.
Cadê os demais órgãos do Poder Público que deveriam estar nesse local fiscalizando. Além da PM só vi a AGETRAN lá. Os demais estavam assistindo o jogo em casa.
 
jorge henrique em 12/07/2012 11:24:35
Em todo lugar que vou, pelo menos 50% do publico é menor de 18 anos, muitos ainda nem dirigem, o que não gera risco, mas estão lá, caídos no chão, vomitando, frenéticos... na minha época não era assim, não saia de casa para esse tipo de diversão. Por fim, não acontece só em comemorações de campeonatos ganhos, é todo dia, em qualquer lugar...
 
Katia Beatriz em 12/07/2012 10:43:31
Infelizmente o poder publico está preocupado com outras coisas, por exemplo em acabar com a diversão dos "jovens", como foi o caso pra proibição dos shows no Laucidio, a tentativa de proibição ao Parque das Nações, entre outros, e os moradores se incomodam na maiorias das vezes com o som alto, com o lixo que sobra.. mas nunca com fatores como esses.
 
Katia Beatriz em 12/07/2012 10:43:06
BANDO DE IRRESPONSÁVEIS, CAMPO GRANDE TA PARECENDO SÃO PAULO , RIO DE JANEIRO E OUTRAS CIDADES MAIORES. TODO MUNDO LOCO NINGUÉM RESPEITA MAIS NINGUÉM.
 
JENNIFFER DUARTE em 12/07/2012 10:11:40
A cidade tá largada pras cobras. Não há mais respeito aos moradores, à polícia. As cachaçadas e o som alto estão formando um caos que já virou rotina. Precisamos de um choque de ordem!
 
Hugo Almeida em 12/07/2012 08:03:37
pois é mas na do corinthians tambem ne?
 
cleusa pirota delmuti em 12/07/2012 04:37:11
aff só a pm que trabalha nesse estado.
 
amanda keity em 12/07/2012 02:18:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions