A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

28/09/2011 18:48

Foi uma situação totalmente atípica, diz tenente que comandou operação em escola

Viviane Oliveira

Foram sete viaturas do Corpo de Bombeiros, ambulâncias do Samu e aproximadamente 30 militares

Toda hora saia uma ambulância com sete ou oito crianças, no total foram cerca de 20 viagens de ida e volta. (Foto: Simão Nogueira)Toda hora saia uma ambulância com sete ou oito crianças, no total foram cerca de 20 viagens de ida e volta. (Foto: Simão Nogueira)

“Foi uma situação totalmente atípica eu nunca vi uma coisa como aquela”, disse o tenente do Corpo de Bombeiros Leandro Moura Marçola, que comandou a operação na tarde de ontem (27), onde 180 alunos passaram mal com suspeita de intoxicação alimentar, na escola municipal de tempo integral profª Iracema Maria Vicente, no bairro Rita Vieira, em Campo Grande.

De acordo com o tenente, por volta das 14 horas os militares foram acionados para ir à escola, cerca de 40 alunos estavam passando mal. Segundo o tenente já imaginava que por se tratar de intoxicação alimentar o caso era grave, mas não esperava que no local esse número fosse três vezes mais alto.

“Cada organismo reage de uma forma, depois de algum tempo começou a aumentar a quantidade de crianças passando mal”, explica.

Foram sete viaturas do Corpo de Bombeiros, ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Móvel) e aproximadamente 30 militares. Toda hora saia uma ambulância com sete ou oito crianças. No total foram cerca de 20 viagens de ida e volta.

“Como não eram vítimas de trauma, a gente transportava vários alunos juntos para os postos de saúde acompanhados por pais ou professores”.

Na escola cerca de 10 militares faziam a triagem, quem estava mais debilitado ia primeiro. As crianças vomitavam, tinham diarréia e sentiam dores na barriga. O tenente Marçola conta que algumas vomitaram durante 20, 30 minutos e outras chegaram até desmaiar.

“Teve crianças que vomitaram na ambulância, nos militares. Eu tenho oito anos de corporação e nunca presenciei algo parecido, cheguei até comentar com colegas mais velhos e eles disseram que também ficaram surpresos.

O tenente conta que foi uma situação muito delicada, algumas crianças estavam agitadas, por que os pais não estavam presentes e em outros casos os pais estavam alterados.

Pânico - O problema começou por volta das 14h30, quando as crianças começaram a ter os sintomas. Mais de 10 equipes dos bombeiros e do Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) foram envolvidas. Na escola, o clima foi de pânico com pais e parentes das crianças chegando a todo o momento.

A cozinha foi interditada pelo Corpo de Bombeiros. A (Sesau) Secretaria Municipal de Saúde colheu amostras da água e da comida servida aos alunos da Escola para análise.



Mas como sempre, "os primos de farda" deram conta do recado. Verdadeiros Anjos de Deus em nossas vidas. TKS dobrado.

Fernando - SGT PM.
 
Fernando Silva em 29/09/2011 12:48:02
O que faz esse povo servir embutidos nos lanche de crianças? nesse calor terrivel q está fazendo? Gostaria que fizessem fiscalização nas escolas,. Meus filhos estudam em escola municipal e reclamam de suco quente, arroz mal cozido...e mais...Ventiladores quebrados em sala de aula, banheiro sujo e insuportável...Por favor reportagem, nos ajude...Tem mta coisa boa. e as q não estão?
 
Ana Leticia em 29/09/2011 10:51:34
Mas também hemm!!! não tinha outra mistura para servir para essas crianças, logo farofa de salsicha e ovo, pelo amor de Deus no meu ver esse tipo de comida criança deve evitar comer fora de casa, e as autoridades responsavel na alimentação, deveria rever os tipos de comidas que são servidos nas escolas, o povo paga tantos impostos, nossas crianças merecem uma alimentação saudável, e não salsicha!
 
ERIKA ARAUJO RAMOS em 29/09/2011 09:46:50
Já vi muita gente culpando o poder público, mas ninguém pensa que pode mesmo ser boicote. Agora eu quero saber: porque as merendeiras cozinharam SALSICHA VERDE? Se ela estava em coloração e, provavelmente o cheiro alterados, porque servir às crianças?E a culpa sempre cai em cima do Prefeito, Secretário, enfim.. fácil culpar a figura pública né merendeiras?
 
Laura Kraemer de Mello em 29/09/2011 09:07:54
Meu Deus do céu. Coitadas dessas crianças. Torço para que todas se recuperem o quanto antes e que as autoridades competentes apurem o caso com rigor, para que fatos dessa natureza nao voltem a ocorrer jamais, especialmente com crianças indefesas.
 
FÁBIO BRAZILIO VITORINO DA ROSA em 28/09/2011 07:42:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions