A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

13/05/2014 07:27

Funcionários suspendem greve por 10 dias e creches voltam a funcionar

Aliny Mary Dias e Zana Zaidan
Aulas voltaram ao normal hoje nos Ceinfs (Foto: Zana Zaidan)Aulas voltaram ao normal hoje nos Ceinfs (Foto: Zana Zaidan)

Depois de intensas negociações com a Prefeitura da Capital e uma assembleia entre os trabalhadores terceirizados dos Ceinfs (Centro de Educação Infantil), os funcionários decidiram voltar ao trabalho e suspender a greve por 10 dias.

Na manhã desta terça-feira (13), as creches voltaram a funcionar, mas em muitas delas o movimento de alunos é fraco, já que a decisão dos trabalhadores em voltar às funções só ocorreu na noite de ontem.

Segundo a presidente do Senalba (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional), Maria Joana Pereira, a decisão em suspender a greve foi de uma comissão composta por sete recreadoras.

“Elas decidiram voltar porque se sensibilizaram com as crianças e com o prefeito que nos ouviu. Agora vamos voltar ao trabalho”, diz. Uma nova reunião entre o sindicato, comissão de trabalhadores e o prefeito Gilmar Olarte (PP) está marcada para o dia 23 de maio.

Ainda segundo o sindicato, a proposta da Prefeitura continua a mesma de antes do início da greve. Os funcionários pedem reajuste salarial de 20%, diminuição da jornada de trabalho de 8 para 6 horas e licença-maternidade de seis meses. Em contrapartida, a administração da Capital oferece aumento de 8% e jornada de 7 horas.

No Ceinf da Vila Nha-nhá, aulas voltaram ao normal (Foto: Zana Zaidan)No Ceinf da Vila Nha-nhá, aulas voltaram ao normal (Foto: Zana Zaidan)

Volta às aulas -No Ceinf da Vila Nha-nhá, os funcionários voltaram ao trabalho, mas o movimento de alunos foi abaixo do que em dias normais. Um dos motivos é que muitos pais ainda não sabem da suspensão da greve.

Uma das mães é Aline Lopes, 23 anos. Ela conta que ontem levou o filho de 1 ano e 6 meses ao Ceinf e teve que voltar para casa. Hoje, depois de ver vizinhas levando as crianças para a creche, arrumou a filha e levou para o Ceinf.

Mario Duarte Nantes, 40 anos, é pai de um menino de 4 anos e conta que passou pela mesma situação. “Ontem meu filho ficou com a minha menina mais velha e hoje soube que estava normal e trouxe ele”, comemora o pai.

Paralisação - A suspensão das atividades dos trabalhadores dos Ceinfs afetou cerca de 40% das unidades da Capital segundo a Prefeitura. No entanto, o sindicato afirmou durante as assembleias que a greve afetou 80% das creches. Em toda a Capital, 2,5 mil profissionais atuam no setor e 1,9 mil são terceirizados, que participaram da paralisação.

O movimento teve início nas primeiras horas da manhã em mobilização na Praça do Rádio Clube. Os trabalhadores seguiram em passeata até a Prefeitura da Capital onde se reuniram com Olarte. Irredutível, o prefeito não cedeu e os trabalhadores ameaçaram em continuar com a paralisação.

No fim da tarde de ontem (12), outra reunião com o prefeito e no início da noite uma assembleia geral de funcionários decidiu por suspender a greve por 10 dias. 

 



são contratados e querem ter o mesmo direito de concursados, isso é errado.
uma injustiça com quem estuda para ocupar essas vagas, chamem concursados.
esses terceirizados saem mais caros para os cofres publicos do que nós concursados!!!
CHEGA DE TERCEIRIZAÇÃO!!!!
 
everson diniz em 13/05/2014 10:03:56
Suspender por 10 dias? Perfeito, dá tempo de fazer a rescisão de todo mundo e colocar o pessoal concursado pra trabalhar.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 13/05/2014 09:15:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions