ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Furto de energia em fábrica de sorvete dava para abastecer 80 casas

Por Francisco Júnior e Mariana Lopes | 23/04/2013 11:10
Operação está sendo realizada na região oeste da cidade. (Foto: Marcos Ermínio)
Operação está sendo realizada na região oeste da cidade. (Foto: Marcos Ermínio)

Operação da Polícia Civil e da Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul) flagraram, na manhã de hoje, furto de energia elétrica numa fábrica de sorvetes. A fiscalização para combater os gatos, como o furto de energia é conhecido popularmente, acontece nos bairros da região oeste de Campo Grande. A ação está concentrada na 7ª Delegacia.

Um dos locais vistoriados foi uma fábrica de sorvetes localizada na rua Tenente Teneré esquina com a rua João Jacinto Câmara, no Jardim Panamá. Lá, os técnicos da Enersul constataram que o furto de energia era suficiente para abastecer 80 casas. “Pelo consumo de energia desta unidade, o normal seria uma conta média de R$ 5 mil, porém, só era pago R$ 200”, disse o gerente de recuperação de energia da Enersul, Paulo Roberto Santos.

Na fábrica foram encontrado três relógios de medição de consumo. Segundo o gerente, o proprietário do estabelecimento, que não teve o nome revelado, fazia o controle do consumo utilizando os equipamentos. “Quando um relógio já tinha atingido um patamar de consumo, ele transferia para outro. O consumo aqui é de 7,3 mil kw/h por mês, e ele derrubava isso para 400 kw/h”, explica.

Em uma serralheria na avenida Presidente Vargas, no bairro Santo Antonio, também foi constatado o crime. O fornecimento de energia no local foi cortado, porém, o proprietário por conta própria fez a ligação clandestina. Duas pessoas que estavam no estabelecimento foram encaminhadas para a delegacia. Os nomes delas não foram divulgados. O relógio de consumo da serralheria foi apreendido e levado para a perícia.

De acordo com o delegado Natanael Balduíno, a pena para o crime de furto de energia pode chegar a 4 anos de prisão e multa. Ele informa que a operação vai ser realizada também no período da tarde.

Para o superintendente comercial da Enersul, Julio Eloi Hofer, este tipo de ação é necessária já que o impacto no consumo de energia total do Estado chega a 17%. “ Quem acaba pagando a conta é consumidor honesto”, alerta.

No início do ano, a Enersul anunciou a fiscalização de 150 mil imóveis para combater gatos no Estado. O número é 7% superior ao número de locais fiscalizados no ano passado. A empresa alega que o objetivo é reduzir o impacto que o furto de energia elétrica causa nas contas dos demais consumidores.

No ano passado, foram identificados 31.715 consumidores com irregularidades, dos quais 30% eram reincidentes. Levantamento feito pelo instituto Acende Brasil, centro que estuda o setor elétrico brasileiro, mostra que em todo País o prejuízo com o furto de energia chega a R$ 5 bilhões.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário