A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Novembro de 2017

14/11/2017 11:45

Governador estuda nova licitação para concluir Aquário do Pantanal

Empreendimento exige investimento de R$ 37 milhões

Kleber Clajus e Leonardo Rocha
Duas empresas deixaram o canteiro de obras nesse ano (Foto: Arquivo/Marcos Ermínio)Duas empresas deixaram o canteiro de obras nesse ano (Foto: Arquivo/Marcos Ermínio)

Nova licitação será aberta, conforme o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), para conclusão do Aquário do Pantanal, em Campo Grande. Isso depois das empresas Egelte Engenharia e a espanhola Fluidra Indústria e Comércio Ltda deixarem o canteiro de obras.

“Faltam R$ 37 milhões para terminar. Cabe ao Estado chamar a segunda colocada e, se ela negar, fazer uma nova licitação. Espero resolver esse impasse para concluir a obra, embora tenha dito que não investiria dinheiro público em aquário, mas sim para construir hospitais”, ressaltou Azambuja, em evento na AEM-MS (Agência Estadual de Metrologia).

No caso da Egelte, responsável pela parte estrutural do aquário, a saída ocorre depois do governo requerer na Justiça a continuidade do contrato mesmo depois que este atingiu o limite máximo de 25% do valor da obra em aditivos.

A Fluidra, por sua vez, pediu rescisão do contrato em março deste ano por conta da demora na conclusão do empreendimento. Esta era responsável por serviços técnicos em filtragem, automação, iluminação e construção cenográfica dos tanques onde os peixes devem ficar.

Situação – Projetado para ser o maior emprendimento de água doce do mundo, o Aquário do Pantanal já custou pelo menos o dobro do que era previsto, ou seja, R$ 200 milhões em recursos do Estado. 

A Seinfra (Secretaria Estadual de Infraestrutura), em agosto do ano passado, havia estimado a necessidade de R$ 67.371.873,99 para conclusão da estrutura física e transferência dos peixes. Nova previsão de custo, atualizada em janeiro deste ano, foi de R$ 68.854.059,19.

O contrato inicial, datado de 2011, era de R$ 84 milhões e foi ajustado em 25%, limite do teto permitido pela Lei de Licitações. Sem poder acrescentar mais verbas ao contrato principal da obra, o Poder Executivo tentou parceria com a iniciativa privada para a conclusão.

Houve tentativa frustrada de que o grupo Cataratas do Iguaçu, vencedor da licitação para administrar o local depois de pronto, financiasse a conclusão do empreendimento planejado para ter 24 tanques. Quando concluído, o volume de água será de 6,2 milhões de litros para abrigar 12.500 animais subdivididos em mais de 260 espécies.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions