ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Greve dos médicos ainda não acabou por causa de atraso em acordo

Aline dos Santos | 29/05/2015 12:13
Greve dos médicos começou em 6 de maio. (Foto: Marcos Ermínio)
Greve dos médicos começou em 6 de maio. (Foto: Marcos Ermínio)

Enquanto a população sofre sem atendimento, o fim da greve dos médicos, previsto para essa sexta-feira, depende de assinatura de documentos. Conforme a assessoria de imprensa do SindMed (Sindicato dos Médicos), a prefeitura de Campo Grande precisa formalizar a aceitação das propostas para o retorno ao trabalho.

Já a assessoria de imprensa da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informa que a assinatura do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) requer aval do MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura depende da disponibilidade da agenda da promotora Filomena Fluminhan. A reportagem entrou em contato com assessoria de imprensa do MPE, mas a promotora estava em reunião.

Na última quarta-feira, os médicos aprovaram a volta ao trabalho. A proposta de acordo prevê uma data para a concessão de reajuste salarial, principal ponto das reivindicações, que ficou para o mês de agosto, além do retorno das gratificações e o não prejuízo financeiro à categoria. No caso, com a anulação da multa de R$ 30 mil por dia determinada pela Justiça.

A greve dos médicos que atendem na rede municipal de Saúde começou em 6 de maio após corte de gratificações e plantões. Houve acordo para o retorno dos pagamentos e a greve foi interrompida no dia 11. Contudo, a paralisação foi retomada em 15 de maio e já deixou mais de 25 mil pessoas sem atendimento. Os profissionais priorizam casos de urgência e emergência na rede 24 horas, onde mantêm 30% do efetivo.

Nos siga no Google Notícias