A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

06/04/2015 11:39

Guarda reage às prisões e registra boletim por abuso e invasão pela PM

Renan Nucci
Secretário Valério Azambuja durante coletiva nesta segunda-feira. (Foto: Marcelo Calazans)Secretário Valério Azambuja durante coletiva nesta segunda-feira. (Foto: Marcelo Calazans)
Vitima apontou dois guardas como supostos agressores. (Foto: Simão Nogueira)Vitima apontou dois guardas como supostos agressores. (Foto: Simão Nogueira)

A Guarda Municipal de Campo Grande registrou boletim de ocorrência por invasão da unidade e abuso de autoridade supostamente cometidos por policiais militares. Na manhã de sexta-feira passada, dois guardas foram presos dentro da Base Central sob suspeita de agressão a um homem na Rua Dom Aquino, esquina com a Joaquim Nabuco, na antiga Estação Rodoviária.

O secretário municipal de Segurança Pública, Valério Azambuja, disse em pronunciamento oficial nesta segunda-feira (06), acreditar que os guardas não participaram - eles foram liberados e trabalham normalmente. Mesmo assim, será instaurado procedimento interno junto à corregedoria para apurar o ocorrido. “Acreditamos que não, mas se houver indício de envolvimento, vamos tomar as medidas necessárias”, disse o secretário.

Ele lamentou a ação que considerou abusiva por parte da PM. As agressões contra a vítima ocorreram, supostamente, à 2h da madrugada, e a polícia só compareceu à base por volta das 6h. “Após a invasão, determinaram que os guardas fossem colocados, sem farda, para um reconhecimento absolutamente teratológico, na presença da suposta vítima, a qual, ao invés de receber atendimento, foi levada para aquele local”, explicou.

A invasão, segundo Valério, configura intervenção do Estado no Município e deve ser tratada, oportunamente, pelos respectivos chefes dos poderes executivos. “Na ocorrência ou não de flagrante, lamento a falta de observância nos artigos 293 e 294 do Código de Processo Penal, sobretudo por se tratar de órgão público municipal legitimamente constituído e em funcionamento, inclusive, integrante da segurança pública”.

Apesar do desentendimento, ele destacou o bom relacionamento que mantém com o coronel Deusdete de Oliveira, chefe da PM em Mato Grosso do Sul, e disse que a parceria entre as duas unidades não será estremecida. “Os cursos que a PM ministra à Guarda e o trabalho conjunto que realizamos continua. Não há alteração”, explicou.

Diplomacias à parte, também reconheceu a tensão existente, na prática, entre alguns guardas e policiais e disse que o assunto é tratado de perto. “Somos parceiros e contamos com o apoio deles para a boa execução de nosso trabalho. Houve despreparo por parte de alguns policiais, mas é algo que não representa o relacionamento. Fazemos o trabalho ostensivo amparados por atribuições legais, e não queremos atrapalhar a função de ninguém, apenas reforçar a segurança pública”, concluiu.

O comando do Batalhão de Choque, uma das equipes envolvidas nas prisões, informou apenas que os policiais agiram da maneira correta e que não haverá pronunciamento sobre o caso.



Lamentável esta ação, não tem nada de certo, não tem provas contra os GCMs, não tem testemunha, apenas uma suposta vitima que mal falava de tão alterado que estava, disse que foram homens com farda, mas não tinha nomes e nem sabia a logo da instituição a qual pertencia, ai os PMs os levam para uma base aonde tem vários integrantes uniformizados e aponta o dedo e fala quem foi, queria ver se tivessem levado em uma base da Policia Militar se ele não reconheceria os integrantes da mesma, mas a justiça será feita, acusação sem fundamento logo cai por terra, e este teatrinho de raiva, vai ser esclarecido, e respeito se deve a quem se dá.
 
wilber em 08/04/2015 10:45:08
Diante de um Flagrante não é necessário nenhuma mandado Judicial.
Se os Guardas Municipais praticaram um crime os Policiais tem que agir com o Estrito Cumprimento do Dever Legal.
A função da Guarda Municipal é restrito a guarda do Patrimônio Público Municipal ou seja; guardar Escolas e Praças Públicas e outros, mas alguns costumam abordar as pessoas e dizem que são suspeitos, isso sim é errado.
Agora, se um Guarda Municipal observar um homem agredindo uma mulher no interior de uma casa ele vai deixar o homem matar a mulher, lógico que não, ele tem que adentrar na residência e socorrer a mulher e prender em Flagrante o agressor.
Como diz a constituição " em flagrante delito de um crime qualquer um do povo pode e a Polícia deve.
 
Verissimo em 06/04/2015 17:23:41
Se a prisão ocorreu às 06:00hs da manhã, não houve qualquer irregularidade. E se foram autuados pelo delegado plantonista, é pq houve fortes indícios...
 
Joaquim em 06/04/2015 14:48:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions