A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019

21/06/2019 12:34

Guarda será transferido para Presídio Federal para "preservar ordem" em MS

Guarda municipal Marcelo Rios foi preso em maio com arsenal de guerra na Capital; ele ainda será levado a presídio no RN

Silvia Frias e Aline dos Santos
Guarda muncipal Marcelo Rios, quando foi transferido ao Centro de Triagem, no dia 28 de maio (Foto/Arquivo: Kisie Ainoã)Guarda muncipal Marcelo Rios, quando foi transferido ao Centro de Triagem, no dia 28 de maio (Foto/Arquivo: Kisie Ainoã)

A transferência do guarda municipal Marcelo Rios, 42 anos, à penitenciária federal foi determinada para “preservar a ordem e a disciplina da unidade penal”, neste caso, o Centro de Triagem, para onde foi levado desde o dia 28 de maio.

A mudança de endereço foi realizada ontem, por volta das 11h, sob escolta de equipe do Cope (Comando de Operações Penitenciárias), grupo especial da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário).

Além da preservação da ordem, segundo a Agepen, transferência também é uma forma de “preservar a integridade física” do preso.

Em caráter emergencial, Rios foi levado à Penitenciária Federal de Campo Grande, até a transferência definitiva para unidade similar em Mossoró (RN). Datada de 19 de junho, a decisão é do juiz da 5ª Vara da Justiça Federal, Dalton Igor Kita Conrado, corregedor da penitenciária federal de Campo Grande.

Marcelo Rios foi preso no dia 19 de maio com arsenal de guerra em uma casa no bairro Monte Líbano. No flagrante, foi levado ao Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), mas “suplicou” por transferência por não se sentir seguro na cela da delegacia.

Carta anexada ao pedido de transferência para o CT, escrita por Marcelo Rios (Foto/Reprodução)Carta anexada ao pedido de transferência para o CT, escrita por Marcelo Rios (Foto/Reprodução)

A transferência ao Centro de Triagem ocorreu no dia 28 de maio, juntamente com outros dois guardas municipais, investigados por ameaçar testemunhas após o flagrante do colega com arsenal: Rafael Antunes Vieira e Robert Vitor Kopetski. Os dois já foram liberados no dia 31 daquele mês.

Flagrante – Na casa, na operação realizada no dia 19 de maio, foram apreendidos dois fuzis modelo AK 47 calibre 76, quatro fuzis calibre 556, uma espingarda calibre 12, uma espingarda calibre 22, 17 pistolas, um revólver calibre 357 e várias munições (15 calibre 762, 392 calibre 762/39 – de AK 47 – 152 calibre 556, 115 calibre 12, 539 munições calibre 9 mm, 37 calibre .40 e 12 calibre 45).

Todas as armas estavam em municiadas e prontas para uso. Além disso, foram encontrados silenciadores, lunetas, e bloqueadores de sinal eletromagnético. O aparelho, conforme investigações, tem a capacidade de bloquear o sinal das tornozeleiras eletrônicas.

Segundo informações do delegado Fábio Peró, titular do Garras, a polícia recebeu denúncia anônima na noite de sábado (18) informando que o guarda faria o transporte do armamento.

Armas apreendidas na casa usada por Marcelo Rios (Foto/Divulgação: Garras)Armas apreendidas na casa usada por Marcelo Rios (Foto/Divulgação: Garras)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions