A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Outubro de 2019

20/09/2019 11:25

Homem que feriu enfermeiro com canivete é socorrido em presídio

Informação inicial é que Carlos Gomes teria sido agredido, mas, no presídio, a equipe médica disse que ele sofreu convulsão

Silvia Frias e Viviane Oliveira
Sala em que o enfermeiro foi atacada pelo paciente que chegou transtornado ao local (Foto/Arquivo: Direto das Ruas)Sala em que o enfermeiro foi atacada pelo paciente que chegou transtornado ao local (Foto/Arquivo: Direto das Ruas)

Carlos Gomes da Silva, 34 anos, preso após esfaquear um enfermeiro do CAPS (Centro de Assistência Psicossocial) do Aero Rancho, precisou receber atendimento médico hoje, no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, com suspeita de fratura na clavícula.

A ocorrência chegou ao Corpo de Bombeiros por volta das 10h30 e a informação inicial era de que ele havia sido agredido dentro do presídio. Quando a equipe chegou, Carlos já estava na enfermaria do presídio, recebendo atendimento médico.

Os bombeiros receberam a informação de que Carlos já estava com os ferimentos antes de ser levado ao presídio e que hoje teria sofrido convulsão. Por conta da suspeita da fratura de clavícula, ele foi levado à Santa Casa de Campo Grande.

Carlos Gomes estava detido desde dia 11 de setembro e foi transferido para a ala psiquiátrica do Presídio de Segurança Máxima a partir do dia 13, depois que passou por audiência de custódia, quando teve prisão em flagrante convertida para preventiva.

A assessoria da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) informou que irá abrir procedimento administrativo para apurar possível envolvimento de outros detentos na situação de saúde de Carlos.

O enfermeiro Ubirajara Viana Ferreira, 35 anos, foi ferido no dia 11, durante expediente no CAPS do Aero Rancho.
Ubirajara foi ferido enquanto pegava arquivos de outros pacientes na mesma sala em que o Carlos estava, alterado e nervoso.

Ao ser recebido por uma psicóloga, Carlos disse que os remédios não estavam fazendo mais efeito e sentia vontade de matar uma pessoa, mas que não machucaria a profissional. Porém durante atendimento, aproveitou a distração do enfermeiro e o feriu a golpes de canivete. Os ferimentos foram superficiais.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions