A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

18/03/2015 14:41

Hospital Regional abre sindicância para apurar morte de bebê com Hemofilia

Alan Diógenes

O Hospital Regional abriu sindicância para apurar o caso do bebê de 9 meses que morreu no centro de saúde, após dar entrada em estado crítico de Hemofilia. Na manhã desta quarta-feira (18) a família da criança registrou um boletim de ocorrência e recorreu à Associação de Vítimas de Erros Médicos do Estado alegando ter havido negligência por parte da equipe médica do HR, que atendeu o paciente.

Conforme a assessoria de comunicação do HR, o objetivo da sindicância é verificar a conduta dos profissionais durante o atendimento médico prestado ao bebê. Uma equipe interna da administração vai fazer um levantamento desde a entrada do bebê no hospital até sua saída, já em óbito. Os enfermeiros e os pais da criança serão ouvidos.

O Hospital Regional afirma que tomou todas medidas necessárias durante o atendimento para salvar a vida da criança. Quanto aos hematomas que apareceram no corpo do bebê, a assessoria informa que “é comum que pacientes com Hemofilia apresentem hematomas, ainda mais neste caso em que a criança tinha apenas 9 meses. Mas tudo vai ser analisado dentro da sindicância instaurada nesta quarta-feira”.

Conforme o presidente da Associação de Vítimas de Erros Médicos do Estado, Valdemar Morais de Souza, a família alega que a criança deu entrada no hospital sem hematomas e estava bem. “Os pais disseram que durante o atendimento médico, vários enfermeiros tentaram fazer a incisão do soro e foram dadas ao todo nove agulhadas no bebê, duas delas no pescoço, inclusive, e que isso teria causado hematomas que contribuíram para o óbito”, explicou.

Os advogados da entidade, de acordo com o presidente, darão assistência à família de Luiz Gustavo, além de psicólogos. Ainda entraram em contato com o Conselho Regional de Medicina, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e MPE (Ministério Público Estadual) para cobrar explicações. “É inadmissível terem tantos erros médicos que levam óbito em todo o Estado”.

Os pais da criança foram hoje (18) até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga registrar um boletim de ocorrência para exigir investigar o caso. O objetivo é que os funcionários do hospital que fizeram o atendimento do bebê sejam chamados para prestar depoimento.

Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...


Uma situação complicada, pois quem é hemofílico aqui em Campo Grande sabe que em muitos casos os próprios enfermeiros não sabem o que é a Hemofilia e a demora no atendimento sempre agrava os sangramentos... a falta de conhecimento em manusear um hemofílico também pode gerar vários transtornos... Campo Grande tem uma quantidade mensurável de hemofílicos e a falta de orientação dos profissionais para essa enfermidade é preocupante... sou hemofílico e em muitos casos onde precisei de atendimento para receber a dosagem de fator precisei esperar algumas horas, essas horas para quem esta tendo uma hemorragia são as mais longas do mundo...
 
PauloCabral em 18/03/2015 16:10:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions