A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

24/03/2015 08:13

Indícios em saco de dormir podem apontar quem matou mulher de 39 anos

Renan Nucci
Mulher foi encontrada morta na manhã de quinta-feira passada. (Foto: Marcos Ermínio)Mulher foi encontrada morta na manhã de quinta-feira passada. (Foto: Marcos Ermínio)
Delegada Célia Maria Bezerra, da 4ª DP, investiga o caso. (Foto: Marcos Ermínio)Delegada Célia Maria Bezerra, da 4ª DP, investiga o caso. (Foto: Marcos Ermínio)

A Polícia Civil espera usar indícios encontrados em um saco de dormir para chegar ao indivíduo que, na madrugada de quinta-feira (19) passada, jogou o corpo de Eliane Barros dos Santos, 39 anos, debaixo de uma árvore no Jardim Paulista, em Campo Grande. A vítima morreu, provavelmente, por overdose ou devido à complicações de pneumonia. O envolvido pode responder pelo crime de ocultação de cadáver.

Eliane foi encontrada morta no início da manhã, dentro do saco feito de napa que estava amarrado por fora com arame, sob uma árvore na Rua Planalto, esquina com a Rua Giocondo Orsi. Ela não apresentava ferimentos ou sinais de agressão. De acordo com a delegada Célia Maria Bezerra, responsável pelas investigações, tudo indica que ela morreu em outro lugar e foi deixada ali.

“Parece que as pessoas que testemunharam a morte a deixaram por lá como forma de se livrarem de eventuais problemas com a polícia”, disse a delegada, lembrando que o ato configura crime de ocultação de cadáver. “Estamos investigando o tecido do saco de dormir, para tentarmos encontrar alguma impressão digital ou qualquer outro vestígio que possa indicar quem se envolveu no caso”, explicou.

Causa mortis – Os laudos periciais ainda não ficaram prontos, mas as principais hipóteses são de overdose, já que a vítima era usuária de drogas e alcoólatra, ou também pneumonia, pois de acordo com familiares, havia sido internada em uma unidade de saúde cerca de dois dias antes, bastante debilitada. “Soubemos que nos últimos meses ela perdeu muito peso pois estava doente e não se cuidava, passava o tempo todo tossindo”, aponta.

Na noite anterior, a mãe relatou à polícia que Eliane encontrou um desconhecido que a convidou para usar droga. Ela saiu com ele não voltou mais. “Ouvimos a família e alguns amigos em busca de identificar quem seria este indivíduo. Sabemos que ele é alto, magro e branco, e acreditamos que tenha informações esclarecedoras sobre o ocorrido”.

Cracolândia – Mãe de dois meninos de 11 e 13 anos, e de duas adolescentes de 15 e 17 anos, Eliane entrou em depressão após problemas pessoais e acabou caindo no mundo das drogas. Ela morava com três dos filhos e a mãe na região do Jardim Paulista. Ela não trabalhava e passava o dia todo praticamente sem comer, apenas ingerindo bebidas alcoólicas, consumindo entorpecentes e pedindo esmolas. De acordo com a delegada, era frequentadora assídua de uma área próxima conhecida como cracolândia. “Ela ficava sempre neste local, não muito longe de onde foi encontrada morta”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions