A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

13/12/2012 17:59

Ipê cai em cima de carro e causa transtorno na Vila Rosa Pires

Viviane Oliveira e Helton Verão
Munira conta que está é a terceira vez que a árvore causa transtorno no local. Munira conta que está é a terceira vez que a árvore causa transtorno no local.
O galho da árvore caiu em cima do carro. (Fotos: Luciano Muta)O galho da árvore caiu em cima do carro. (Fotos: Luciano Muta)

A chuva desta tarde com ventos derrubou um galho de ipê sobre um veículo Renaut Clio, por volta das 15h, na rua Maria Madalena esquina com a rua Rodolfo José Pinho, em Campo Grande.

A proprietária do carro, a comerciante Munira Costa, 60 anos, disse que chegava em casa quando o portão eletrônico parou no meio por causa da falta de energia.

Antes dela sair do veículo, a árvore caiu em cima do carro derrubando os fios da rede de energia elétrica. “Não sei se foi azar ou sorte, mas graças a Deus nada de mais grave aconteceu”, disse.

Segundo a comerciante, está e a terceira vez que a árvore em frente à residência dela causa transtorno. “Eu já pedi para a prefeitura remover ela daqui, porém eles falam que a árvore não está condenada”, afirma.

A árvore pode não estar condenada, afirma, mas ela tem muitos galhos pobres. “Já plantei uma árvore na frente para substituir essa, minha casa é bem arborizada e não há necessidade dela ficar aqui trazendo risco para os moradores”.

Munira afirma que vai processar a Prefeitura porque alertou o órgão do problema por várias vezes e não foi atendida. “Agora o prejuízo vai ficar por minha conta”, lamenta.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para remover o galho da árvore, porém aguarda a chegada da Enersul para desligar a rede de energia. Outro caso de queda de árvore foi registrada na rua Maria Madalena.



“Agora o prejuízo vai ficar por minha conta”. Ledo engano senhora Munira Costa. De posse do boletim de atendimento do Corpo de Bombeiros, do protocolo da ENERSUL, além de fotos e testemunhas, de entrada de um pedido de ressarcimento na prefeitura, que certamente lhes era negado. Na sequência ingresso com ação judicial por perdas e danos. É responsabilidade da prefeitura manter a árvore em condições que não ofereça riscos as pessoas e seus bens. Já que alega não ser necessário o corte, então deveria poda-la.

em tempo: se já havia solicitado a poda do Ipe anteriormente, inclua no processo cópias das solicitações e eventuais laudos que a prefeitura tenha emitido. Esse tipo de ação é demorada, mas é causa praticamente ganha.
 
Fernando Silva em 13/12/2012 21:37:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions