ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Jogo do bicho só havia fechado bancas em 2007, com medo de operação da PF

Por Marta Ferreira | 18/03/2011 15:42
Em junho de 2007, bancas do bicho amanheceram fechadas, dias após operação da PF. (Foto: Arquivo)
Em junho de 2007, bancas do bicho amanheceram fechadas, dias após operação da PF. (Foto: Arquivo)

O jogo do bicho esteve nas manchetes esta semana em Campo Grande, após uma ofensiva da Polícia Civil que prendeu apontadores e cambistas, fechou 29 pontos e fez cair a praticamente zero o movimento nas bancas que todo mundo sabe que existem na cidade. A última vez que a jogatina que explora a fauna brasileira havia levado um baque do tipo na cidade foi em junho de 2007, quando, após a Operação Xeque-Mate, da Polícia Federal, as banquinhas fecharam por conta própria.

À época, as cabines, em sua maioria cor de laranja, se mantiveram fechadas por pelo menos três dias, como mostrou reportagem do Campo Grande News

Era o temor dos reflexos para o jogo do bicho da Xeque Mate, que quebrou esquemas de caça-níqueis e resultou em 80 prisões.

À época, os apontadores admitiram que o temor de uma ação policial havia paralisado os negócios. “Esse negócio da polícia, com os caça-níqueis, acho que o pessoal ficou com medo”, contou um deles.

Assim como aconteceu esta semana, a retração do jogo durou pouco tempo.

O Campo Grande News registrou nesta manhã que as apostas já voltaram a ser feitas, da mesma forma como, em 2007, as banquinhas e estabelecimentos comerciais onde as apostas eram feitas voltaram a fazer anotações na mesma semana em que foi foi deflagrada a Operação Xeque-Mate.

Essa operação ficou famosa por levar para prisão gente como o ex-major da Polícia Militar Sérgio Roberto de Carvalho, apontado como um dos chefes da máfia da jogatina, que já cumpriu pena por tráfico de drogas e, este ano, foi denunciado por tentar fraudar a herança do milionário português Olympio José Alves.

Nos siga no Google Notícias