A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

16/09/2016 14:40

Jovem é condenado a 16 anos de prisão por matar ‘fofoqueiro’ a tiros

Rafael da Silva tinha rixa com Alexandre Torres e o matou porque rival teria espalhado mentira sobre ele

Anahi Zurutuza
Rafael, no dia 13 de novembro de 2014, quando se apresentou à polícia (Foto: Alcides Neto/Arquivo)Rafael, no dia 13 de novembro de 2014, quando se apresentou à polícia (Foto: Alcides Neto/Arquivo)

Rafael Correa da Silva, de 23 anos, foi condenado a 16 anos de reclusão em regime fechado por matar com quatro tiros, sendo dois na cabeça, Alexandre da Silva Torres, no bairro Estrela do Sul – no norte de Campo Grande – em 2014. Ele foi a júri popular manhã desta sexta-feira (16).

Uma fofoca feita pela vítima a respeito do assassino motivou o crime, conforme concluiu a Polícia Civil na época. Em entrevista ao Campo Grande News há dois anos, o delegado Weber Luciano, titular da 2ª Delegacia de Polícia, Rafael e Alexandre tinham uma rixa porque a vítima teria espalhado pelo bairro que o homicida era “talarico”, gíria que significa homem que sai com mulher de preso.

Rafael se entregou à polícia três dias depois do crime e justificou que estava sendo ameaçado por Alexandre, por isso teria matado o rival.

O crime – O homicídio aconteceu na noite de 10 de novembro de 2014, na rua Mestre Valentim. Rafael e Alexandre teriam se encontrado e, segundo relatou o assassino, a vítima que vinha fazendo várias ameaças contra o jovem, teria dito: “é bom você estar armado”.

Foi quando, Rafael sacou o revólver e atirou contra o homem, disparando quatro tiros que acertaram Alexandre nas costas, peito e cabeça.

A mulher a vítima presenciou o crime e ficou apavorada, conforme argumentou a acusação durante o júri.

Tribunal do Júri, no Fórum de Campo Grande (Foto: TJMS/Divulgação)Tribunal do Júri, no Fórum de Campo Grande (Foto: TJMS/Divulgação)

Julgamento – Os advogados de Alexandre alegaram legítima defesa, mas a maioria dos jurados entendeu que o rapaz era culpado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe – a suposta fofoca – e recurso de dificultou a defesa da vítima, uma vez que o primeiro tiro foi dado nas costas, indicando que Alexandre teria tentado fugir.

O júri também condenou Rafael por porte ilegal de arma de fogo. Ele comprou o revólver já na intenção de “se livrar” do rival, segundo a acusação. Mas, alega que na verdade, tinha a intenção de se defender.

Pelo homicídio, o juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, fixou a pena de Rafael em 15 anos de reclusão, mas reduziu em seis meses porque o réu confessou o crime e não atrapalhou a investigação. “Não merece redução maior, porque o homicídio foi presenciado por outras pessoas, inclusive, pela esposa da vítima. Logo, sua confissão não foi preponderante para a descoberta da autoria”.

Já pelo porte de arma, o magistrado determinou pena de 2 anos e quatro meses de prisão. Rafael terá de cumprir, portanto, pena de 16 anos e dez meses em presídio.

Homem mata rival a pauladas por ciúmes da ex-mulher
Por ciúmes da ex-mulher, um homem matou Edson Duarte, 21 anos, a golpes de madeira na noite de ontem (7), na aldeia indígena Limão Verde, em Abambai,...
Rixa antiga termina com homem morto após discussão no Estrela do Sul
Alexandre da Silva Torres, 31 anos, foi morto a tiros por volta das 23h de ontem (11) no Conjunto Residencial Estrela do Sul, em Campo Grande. A víti...
Jovem mata rival com nove tiros e liga para PM para se entregar
Roberto Carlos Gonçalves, 20 anos, matou a tiros o rival José Eugenio, 52 anos, e ligou para policia para se entregar. A rixa que tem mais de dois an...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions