A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

04/09/2017 07:37

Juiz faz nesta 3ª audiência sobre morte de Wesley, agredido em lava jato

Acusados alegam "brincadeira", enquanto MPE fez denúncia por homicídio doloso

Aline dos Santos
Marisilva Moreira da Silva, mãe do rapaz, chora abraçada a cartaz com foto de Wesner. (Foto: André Bittar)Marisilva Moreira da Silva, mãe do rapaz, chora abraçada a cartaz com foto de Wesner. (Foto: André Bittar)

A Justiça abre amanhã as audiências sobre a morte de Wesner Moreira da Silva, agredido no dia 3 de fevereiro em um lavo jato no bairro Morumbi, em Campo Grande. Na terça-feira (dia 5), a partir das 14h30, serão ouvidos duas testemunhas de acusação indicadas pelo MPE (Ministério Público Estadual).

Thiago Giovani Demarco Sena, 20 anos, e Willian Henrique Larrea, 31 anos, são acusados pela morte de Wesner, então com 17 anos. Na ocasião, a dupla introduziu uma mangueira de alta pressão no ânus do adolescente, provocando graves lesões internas na vítima. Ambos alegaram que era “uma brincadeira”.

O adolescente chegou a ficar 11 dias internado na Santa Casa. Os acusados respondem ao processo em liberdade.

Eles foram denunciados pelo MPE ( Ministério Público Estadual) por homicídio doloso, quando se tem intenção ou se assume o risco de provocar mortes. Já a defesa alega que a denúncia está "divorciada do depoimento da vítima e da declaração da única testemunha ocular do caso".

No dia 2 de outubro, às 14 horas, o juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Carlos Alberto Garcete de Almeida, ouve as testemunhas de defesa e faz o interrogatório dos acusados.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions