A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

23/09/2013 14:45

Júri absolve acusado de homicídio e família irá recorrer

Lidiane Kober

Revoltada com a absolvição de Leandro Barbosa Varejo, em júri popular na manhã desta segunda-feira (23), a família de Lennon Medeiros Campos, assassinado com mais de cinco tiros em julho de 2011, cobra justiça e anuncia recorrer da sentença.

“Estamos revoltados, o assassino confessou o crime em várias reportagens e, hoje, mudou a versão e, por falta de provas, foi inocentado. Antes do meu irmão, ele matou um e, se sair da cadeia, pode destruir mais uma família”, disse Mayara Medeiros de Campos, 27 anos, irmã da vítima.

Segundo ela, Leandro já foi condenado por um homicídio e matou Lennon, enquanto estava foragido. “Ele confessou o crime em programa de TV, disse que matou meu irmão por rixa e, por ser uma preza fácil, foi o alvo escolhido para amedrontar outros”, relatou Mayara.

Hoje, no entanto, ela afirmou que o bandido mudou a versão. “Disse que não sabia de nada e jogou a culpa no comparsa, chamado Douglas, vulgo Macaco”, contou. “A verdade é que os dois estavam juntos no dia do crime”, emendou. “Vamos recorrer dessa sentença”, concluiu.

O caso – Oito meses após o crime, Leandro foi apresentado em coletiva no 2º Distrito Policial. A Polícia chegou até ele, após a prisão de Douglas Silva Fonseca, que entregou o nome do comparsa.

Na época, Leandro confessou e justificou o crime alegando que a vítima já havia tentado matá-lo. Porém, a versão foi rebatida pela polícia. Conforme o delegado Weber Luciano Medeiros, responsável pela investigação, o crime foi motivado por ciúme.

Ainda de acordo com o delegado, Leandro é altamente perigoso e pertence a uma organização criminosa de traficantes de drogas. Segundo Weber, o acusado era responsável por cometer os homicídios a mando dos chefes do grupo. Leandro tem várias passagens na Polícia e estava foragido da Colônia Penal Agrícola de Campo Grande.

O assassinato de Lennon aconteceu por volta das 23 horas do dia 16 de julho de 2011, em frente a um bar na Rua Catanduva, no Bairro Estrela do Sul, em Campo Grande. Um carro com duas pessoas se aproximou e efetuou vários disparos.

Lennon foi atingido por mais de cinco tiros. Uma das balas atingiu o pescoço do jovem que chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu no posto de saúde do Bairro Coronel Antonino. Sete dias depois da morte, nasceu sua filha. Hoje, mãe, pai, esposa, filha, irmã e sogra acompanharam o julgamento.



Se tens certeza que o assassino é bandido e realmente querem justiça, parem de falar e começam agir.
 
jorge ferreira em 23/09/2013 21:42:31
Bom, espera-se que esse indivíduo continue preso para responder pelos outros crimes enquanto a família tenha tempo de recorrer sem mais constrangimentos.
 
Kaio Gleizer em 23/09/2013 15:38:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions