A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

08/04/2015 20:09

Justiça considera greve ilegal, mas técnicos decidem manter paralisação

Alan Diógenes
Técnicos de radiologia fizeram protesto até mesmo na Câmara de vereadores. (Foto: Marcelo Calazans)Técnicos de radiologia fizeram protesto até mesmo na Câmara de vereadores. (Foto: Marcelo Calazans)

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul declarou, na tarde desta quarta-feira (8), a ilegalidade da greve dos profissionais de radiologia na rede pública de saúde em Campo Grande, após ação movida pela Procuradoria-Geral do Município. Apesar da decisão, os servidores decidiram manter a paralisação das atividades. 

Conforme a decisão, o Sinterms (Sindicato dos Técnicos e Auxiliares em Radiologia em Empresas Públicas e Privadas no Estado de Mato Grosso do Sul), que organiza a paralisação, não é o representante legal da categoria. A Justiça também entendeu que não houve a comunicação ao Município sobre a greve no prazo previsto pela Lei n. 7.783/89, que é de 72 horas de antecedência, por se tratar de serviço essencial de saúde.

Também não houve, conforme a decisão, comunicação aos usuários dos serviços, considerando que o aviso foi dado em véspera de feriado, o que, conforme o despacho, “evidencia o propósito de causar dificuldades à organização de um atendimento mínimo à população”.

O desembargador Sérgio Martins considerou, ainda, que a paralisação dos serviços provoca prejuízos à população e, diante disso, declarou a greve ilegal. Foi estabelecida multa de R$ 20 mil, por dia, caso a determinação judicial seja descumprida.

O presidente do Sinterms, Adão Júlio da Silva, disse ao Campo Grande News nesta noite que o sindicato ainda não foi notificado sobre essa decisão. Ele também criticou a ação do Poder Executivo. “É uma traição eles ficarem questionando a legitimidade da nossa manifestação, por isso vamos permanecer em greve até que nossas reivindicações sejam atendidas”, explicou.

Integrantes do sindicato irão realizar um nova reunião para discutir o assunto na manhã desta quinta-feira (9) na sede do Sinterms, localizada na Rua Maracaju, 371, no Centro.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions