A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

27/10/2011 09:55

Justiça já recebeu denúncia contra empresário que matou amante no dia 8

Marta Ferreira

José Alberto dos Santos Rosa está preso desde o dia do crime. Defesa tem 10 dias para se manifestar sobre acusação de homicídio qualificado

Empresário foi preso logo após crime, no dia 8 de outubro. (Foto: Wendell Reis)Empresário foi preso logo após crime, no dia 8 de outubro. (Foto: Wendell Reis)

Menos de 20 dias após o crime, já foi acatada pela Justiça a denúncia do MPE (Ministério Público Estadual) contra o empresário José Alberto dos Santos Rosa, que matou a vendedora Rosana Camargo de Assis, de 29 anos, no dia 8 de outubro. Ele é acusado de homicídio qualificado.

O juiz Alexandre Ito recebeu a denúncia ontem e deu prazo de 10 dias para a defesa de José Alberto responder à acusação.

Ele está preso desde o dia do crime, ocorrido próximo ao prédio da antiga estação rodoviária de Campo Grande. Os advogados do empresário pediram ao juiz para revogar a prisão, ou permitir que ele fique preso em casa, mas a solicitação foi rejeitada.

O criminalista Renê Siufi, que representa José Alberto, informou que vai pedir a liberdade dele ao TJ (Tribunal de Justiça), por meio de habeas corpus.

O caso teve desfecho rápido na Polícia Civil. Em menos de um mês, o inquérito foi concluído e relatado à Justiça.

O crime- José Alberto matou Rosana com um tiro nas costas, na tarde de um sábado, 8 de outubro. Ela atirou nela quando dirigia um veículo Corolla. O carro bateu na mureta de um posto da Polícia Militar no prédio da entiga estação rodoviária.

Segundo consta da decisão do juiz que negou a lib erdade, José Alberto saiu do carro com a arma em mãos e chegou a apontá-la aos policiais, precisando ser imobilizado.

A defesa dele, ao pedir a liberdade, alegou que ele tem problemas de saúde, como diabetes e hipertensão, mas o argumento foi rejeitado tanto pelo MPE quanto pelo magistrado que cuida do caso.



A data é dia 08 de outubro e não abril de 2.011.
 
Ironi M. Soares em 27/10/2011 12:23:47
Não suporto dramaturgia jurídica. Concordo com o Milton Miguel.
Esses indivíduos, por dinheiro defendem até o ASSASSINO da mãe. Isso não é justiça.Outro caso repugnante, a morte do Brunão(caso Luna) o que seu defensor tenta passar é nojento.... Como podemos chamar de justiça, um indivíduo inventando história que nem cça acredita, testando a inteligência das pessoas. Justiça, faz-se com a verdade.
 
neyde de oliveira em 27/10/2011 11:56:10
e brasil aqui em mato grosso do sul ? dinheiro compra tudo so se ferra quem morre , mas a justiça divina ninguem compra nao . estes advogados nao tem coraçao , emoçao nem vergonha , um mes bateu record que vergonha????????????
 
milton ap miguel em 27/10/2011 11:52:12
Só falta colocar no código penal que todo cidadão tem direito de matar um e ficar em liberdade. Olha não é de se duvidar que isso possa acontecer daqui alguns anos, já que observamos que muitos de matado em e menos de pra não dizer 30 dias vamos colocar 60 dias, em liberdade. Agora só falta o advogado dizer que a culpa é da arma pois ela disparou sozinha em direção a vitima... pts coisa de cinema!
 
jose carlos em 27/10/2011 06:03:53
A Defensoria que esta defendendo esse senhor, para atirar na jovem ele não estava com diabete e hipertensão,se liberar ele devem ser liberados todos os que matam pelas costas pessoas indefesas.
 
Diogo Silveira em 27/10/2011 03:26:53
Até concordo que o cidadão tem lá seu direito a defesa....
Mas colocar este senhor em liberdade seria um "tapa na cara" da sociedade!!!

Assassino confesso, covarde ao atirar nas costas da sua vítima...

Cabe ao poder judiciário efetuar um julgamento justo mas severo, mostrando a nossa sociedade que nem tudo esta perdido...

E esperar pra ver...

 
Nelson Esteves Póvoa Junior em 27/10/2011 02:11:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions