A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 13 de Outubro de 2019

11/04/2013 23:37

Líder indígena será homenageado na Câmara no dia 17

Nyelder Rodrigues

O líder indígena Arildo Soares Delgadilho será homenageado no próximo dia 17 na Câmara Municipal de Vereadores de Campo Grande.

A homenagem ao líder, que nasceu em Campo Grande no dia 28 de setembro de 1964, acontece a partir das 9h.

Arildo é filho de Ana Alice e Airton Soares Delgadilho, membros da etnia Terena, na região de Aquidauana. Além disso, desde 1988 desenvolve ações em defesa dos direitos indígenas.

Entre os trabalhos dele, está o mapeamento e cadastramento de todas as comunidades indígenas urbanas de Campo Grande. A pesquisa apontou que há 14 mil famílias indígenas na Capital. Uma de suas principais causas defendidas é a questão habitacional.

Ele participou da elaboração do projeto de construção de quatro aldeias urbanas na Capital, e já colaborou com projetos que levaram serviços médico, odontológico, oftalmológico, atendimento aos deficientes físicos, entre outros.



O MUNDO CERTAMENTE SERIA UM LUGAR MUITO MELHOR E MAIS DIGNO PARA SE VIVER E CRIARMOS NOSSOS FILHOS...SE HOUVESSEM MAIS PESSOAS ASSIM...QUE REALMENTE SE PREOCULPA COM O PROXIMO SEM PEDIR NADA EM TROCA...QUE RESPEITO AS DIFERENÇAS E VALORIZA AS IGUALDADES....BRAVURA...HONRA...CORAGEM...HUMANISMO...MUITOS SÃO AS QUALIDADES PARA DESCREVER...E MESMO ASSIM.....FALTAM PALAVRAS!!!!
PARABENS ARILDO SOARES DELGADILHO VOCE É UM EXEMPLO!!!
 
JACQUELINE ANTONIA IBARRA BALBUENA em 18/06/2013 17:32:28
14 mil famílias indígenas ou seja: cerca de 60 mil indígenas seria necessário pelo menos mais cinco arildos para melhorar a situação de cada índio desaldeado. O Arildo, um índio "guerreiro", concentrou sua luta na questão habitacional e saúde dos deficientes, mas os problemas que surgem com o índio morando na cidade são inúmeros, como por exemplo eu cito, entre tantas, a questão das taxas de energia e água que são cobradas baseadas nas tarifas mais caras, enquanto há uma lei que favarece tantas outras famílias, mas é impossível se ver uma família indígena sendo beneficiada com a "tarifa social". Uma ação conjunta do governo e empresas fornecedoras no sentido de baratear as taxas cobradas viria, com certeza, melhorar a situação do índio que mora da cidade. Essa é a minha humilde sugestão.
 
ADALTO DE OLIVEIRA DIAS em 12/04/2013 07:23:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions