A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017

11/08/2017 15:46

Livre de infecção há 20 dias, Yago ‘engorda’, mas continuará no hospital

Anahi Zurutuza
Na UTI, pequeno sobrevivente  recebe carinho da família (Foto: Santa Casa/Divulgação)Na UTI, pequeno sobrevivente recebe carinho da família (Foto: Santa Casa/Divulgação)

Vinte dias depois de se recuperar de infecção, Yago, o bebê que resistiu até a 27ª semana de gestação no ventre da mãe com morte cerebral, ganhou 200 gramas e quase chegou ao peso que precisa para conhecer a vida fora do hospital. O pequeno sobrevivente, entretanto, ainda não tem previsão de alta.

De acordo com a assessoria de imprensa da Santa Casa, o bebê de 4 meses e 11 dias continua na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) Neonatal e respira sem ajuda de aparelhos, mas ainda se alimenta por sonda, por isso ainda não pode ir para casa.

No fim do mês passado, Yago deu um susto na equipe médica, ao sofrer uma infecção grave. Ele precisou ser entubado e perdeu peso.

No dia 21 de julho, ele voltou a respirar sozinho e estava com 1,795 kg. Nesta semana, o bebê foi pesado e surpreendeu novamente: está com 1,9 kg.

Nascido em 31 de março, a previsão era de que em julho o bebê teria alta, porém o quadro instável adiou os planos dos médicos. A equipe só deixará que o pai leve Yago para casa quando o filho estiver com no mínimo 2 kg e se alimentando normalmente.

Caso – A gestação e nascimento de Yago são inéditos em Mato Grosso do Sul. Para manter o bebê vivo no útero da mãe que era mantida nos aparelhos, médicos da Santa Casa trocaram informações com profissionais do Espírito Santo e Portugal.

Com a morte encefálica da mãe, Renata Souza Sodré, 22 anos, o nascimento do bebê era uma aposta de alto risco.

Renata sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em 27 de janeiro e teve a morte cerebral constatada por dois testes clínicos e mais exame de imagem.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions