A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

25/05/2011 08:05

Mãe de 3 filhos e na miséria, jovem diz que há 4 anos tenta fugir das drogas

Viviane Oliveira e Nadyenka Castro

O conselho tutelar foi acionado

Enquanto Laurilê dava entrevista seus olhos enchiam de lágrimas. (Fotos: Viviane Oliveira)Enquanto Laurilê dava entrevista seus olhos enchiam de lágrimas. (Fotos: Viviane Oliveira)

Há quatro anos a dependente química Laurilê da Silva, 26 anos, mãe de três crianças diz que vive na miséria. De bermuda jeans, camiseta larga, pés descalços e com um olhar triste, a mulher ainda sob efeito da droga recebeu a reportagem do Campo Grande News, com o bebê de três meses no colo.

Ontem, por volta das 14 horas, o Corpo de Bombeiros foi acionado para atender uma ocorrência de possíveis maus-tratos. Quando chegaram ao local, se deparam com um lugar insalubre e o bebê chorando.

O vizinho que não se identificou conta que chamou os militares após ouvir a criança chorar muito. “Comecei a bater na janela do quarto e ela não acordava de jeito nenhum, acho que o bebê chorava de fome”, afirma o homem. Segundo ele, isso se repete quase todos os dias.

No momento da entrevista o marido de Laurilê, Sandro de Campos, 33 anos, estava trabalhando – fazendo bicos. Ela conta que ele também é dependente químico e está desempregado.

Na casa de três cômodos moram Laurilê, o marido, a criança de quatro anos que estava na creche e o bebê. O filho mais velho do casal, de 10 anos, mora com a sogra dela. Na geladeira tinha apenas uma caixa de leite que o vizinho deu e água.

Na residência não há fogão muito menos botijão de gás, na pia da cozinha restos de comida estragada e louças sujas.

Dependente de pasta base de cocaína, ela conta que não “cheira” todos os dias, mas não consegue ficar uma semana sem. “Eu queria largar esse vício, mas não consigo, não sei o futuro que eu vau dar para as minhas filhas”, lamenta.

Enquanto Laurilê dava entrevista seus olhos enchiam de lágrimas. Ao ser perguntada se estava triste, ela respondeu: “Não, estou com vergonha”.

Na residência não há fogão muito menos botijão de gás. Na residência não há fogão muito menos botijão de gás.
Na pia da cozinha restos de comida estragada e louças sujas.Na pia da cozinha restos de comida estragada e louças sujas.

Ela conta que há uns três anos atrás o Conselho Tutelar recolheu as crianças e só devolveu com a promessa de que iria se tratar. “Eu estava fazendo tratamento no Hospital Regional Rosa Pedrossian, mas com os remédios eu só dormia foi até que desisti,diz.

Há casos em que usuárias chegam a deixar o filho em boca de fumo como garantia de pagamento. “Nunca nem em pensamento, jamais faria isso com as minhas filhas. Pretendo cuidá-las mesmo nessas condições”, afirma.

Hoje no final da tarde o Conselho tutelar foi na casa de Laurilê, mas ela havia saído com a criança.

De acordo com o conselheiro, João Eudociak Filho, amanhã vai novamente com uma assistente social fazer um relatório do lugar. “Imediatamente vou encaminhar para a Juíza da Vara da Infância e Juventude e do Idoso para tirar essas crianças de lá e conseguir um tratamento para essa mãe”, explica.

Caso recente - O juiz Danilo Burim, em substituição no início do mês na Vara da Infância, Juventude e do Idoso, conta que se deparou com um caso parecido de Laurilê.

Uma jovem também usuária de droga teve o terceiro filho eu um hospital público da cidade encaminhada pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel).

Pelo fato de ser dependente químico, havia risco a criança e o juiz precisou decidir o destino do recém-nascido. O bebê foi encaminhado para avó materna.

O magistrado explica que casos como estes não são raros, mas também não acontece constantemente.

Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


eu tive a oportunidade de conhecer essa mãe escrava do vicio e posso afirma pelo nome de Jesus Cristo que ela é um nova criatura, e a partir de então viverá em função de sua família sob a Graça do Pai.
 
VANDA RODRIGUES em 11/07/2011 04:50:23
O engraçado é que todo mundo vê, menos quem tem que ajudar " o governo " tem que reagir dar um sustento p/ essa familia, vamos, vamos, vamos políticos, sei que muitas vezes é difícil p/ um viciado largar, mas estamos vendo o tanto de dinheiro jogado fora, como por exemplo, foi entregue tando dinheiro p/ " o carnaval " e agora esse aquário maior do mundo.... P/ que isso?????????? Hã.......... sei pq é mais facil agradar os mais ricos do q ficar ajudando os mais pobres...... È o fim da picada............
 
gildete da silva em 27/05/2011 09:51:45
E lamentavel fico comovida e triste ao mesmo tempo essas crianças precisam de amor e o mais importante essa mae precisa de ajuda vamos cair na real senhor governador faça alguma coisa tantas pessoas sofrem com esses vicios que alguem com condições ajude essa familia...
 
daiane esquian em 27/05/2011 09:41:09
pra começar é muito triste,ver que no mundo em que vivemos, é realizade é essa, mas se a realidade é essa, pq esses malditos politicos, corruptos, que roubam, pra ter status, empregam toda sua familia, p/ roubar tb, funcionários fantasma, isso tudo me revolta, pq ha milhares de familias nesta situação ou ate piores, essas crinças, so por um milagre serão pessoas decentes, por mais que os pais se esforcem p/ isso. Agora tenho p/ mim, que o governo, juntamente com a assistencia social e os demais responsáveis, deveria cirar um programa, para evitar que melheres dependentes quimicas, tivessem filhos, que fosse um programa criterioso e responsável, por aplicar injeções contra cepitivas ou ate mesmo laquiaduras para essas mulheres, não colocarem mas crianças para sofrer nesse mundo, é uma injustiça com a humanidade, o que adianta esse tal de censo passar, e ver que a cada ano a população aumenta, mas a miseria, as drogas, a fome, o descaso com a saude, os falsos indices di IDEB, por que a eduação é uma vergonha e a saude nem se fala, são uns hipocritas, o tempo que se perde fazendo propaganda de coisas inuteis, FAÇAM ALGUMA COISA PELA POPULAÇÃO.
 
Andreia Rodrigues Guisoni em 27/05/2011 03:22:51
Bom dia! parabenizo o Campo grande news pela materia, pois mostra-nos a realidade sem maquiagem. Mas, eis que tomo a liberdade para fazer um questionamento: Até onde a droga, esse mal do século vai destruir o ser humano?!
Gostaria que estudo fossem feitos para descobrir caminhos, como ajudar? como tirar a familia desse lamaçal? quem é o maior culpado? sera que existe um culpado? Ou é a fraqueza do ser humano?Será que se existisse o controle de natalidade não diminuiria essa situação? Eu sei que minhas perguntas talvez não terão respostas, mas quem sabe, gostaria de que fossem publicadas matérias dessa natureza,.Sou moradaora da cidade de Ribas do Rio Pardo e infelizmente aqui esse mal tambem existe e com gravidade. Elza coene
 
Elza Coene em 26/05/2011 10:42:08
Louvável essa matéria do Campo Grande News, uma realidade assustadora e muito comum no Jardim Noroeste. Eu pessoalmente já estive com essa familia e até consegui uma internação para para o marido de Laurie, mas ele não quis. Levamos uma cesta básica suficiente para um mês, mas o caso é muito grave, na ocasião ela ainda não estava grávida do terceiro filho, o pior de tudo isso é que ela é de familia bem estruturada, o pai dela inclusive é Maçom, mas não querem nem saber dela. Enquanto os nossos governantes não acordarem para realidade a nossa cidade está se transformando numa cidade de zumbis. Deveriam fazer clinicas de recuperação municipal para internação, pois os Capes não resolvem esses problemas. Enquanto isso algum vereador está fazendo mais uma "Moção de Congratulação" para algum puxa saco, ou colocando no Facebook alguma foto bonitinha em alguma reunião que não leva a nada. Sou um Policial Comunitário e se querem conhecer um pouco do meu trabalho é só acessar o meu blog. Estou tentando resolver essa questão de evitar que as nossas crianças conheçam esse mundo sombrio das drogas, através de projetos sociais que estamos desenvolvendo no Jardim Noroeste, um deles é a criação de um Grupo Escoteiro. assem http://pmacaosolidaria.blogspot.com/
 
SIDNEI GARCIA DE FREITAS em 26/05/2011 07:21:02
Interessante todos os comentários e deles se aproveita para um melhor conhecimento do problema e para o seu combate.
Mas. antes de tudo, devemos ter força em dizer não as drogas e principalemente, em participar do tráfico. Esta força eu tive, mesmo que os valores oferecidos eram em sacola de dinheiro por viagem.
 
CARLOS FERNANDO em 25/05/2011 12:51:47
Todo mundo culpa o governo, a policia, os direitos humanos, mas ninguém fala que é uma falta de vergonha na cara dessa mulher ter entrado nesse mundo. Conheço muita gente mais pobre que ela e tem uma vida digna.
 
Jose Igatoro em 25/05/2011 12:43:25
Os dependentes quimicos tem muita dificuldade para obter tratamento, os que desejam receber o tratamento esbarram na falta de clinicas que atendam sem cobrar. Isso é caso de responsabilidade do estado, mas para se conseguir isso a pessoa precisa entrar na justiça e justiça demora demais para responder aos apelos e enquanto isso fica sofrendo e continua se drogando e quem sofre é a familia. Politica publica para melhorar o atendimento aos dependentes deveria ser implementadas urgentemente.
 
Moema almeida em 25/05/2011 11:24:29
essa pessoa sabe que existe um centro de recuperação só para mulheres aqui mesmo em Campo Grande? chamada Fazenda da Esperança? se ela quiser mesmo se tratar lá oferece tratamento sem remédios, enqto as filhas dela ficam em custódia ela pode ser tratada lá, é só ela querer. Entrem em contato com a a Fazenda da Esperança.
 
cida fernandes em 25/05/2011 10:40:39
Para ajudar os vizinhos não aparecem. Mas, para denunciar e acabar de destruir uma família, são os primeiros urubus de plantão.
Este vizinho deveria chamar o Serviço Social e Médico do Estado e não a força policial, para quem está doente.
Vamos ver como ele se sentirá nos desastres súbitos da vida, quando, no lugar de ajuda, terá a sua porta a policia, porque, algum desafeto se aproveitou da oportunidade e praticou um ato de vingança.
Quem não sabe e não pode ajudar, é melhor não aparecer para atrapalhar
 
CARLOS FERNANDO em 25/05/2011 10:38:04

É lamentavel deparar com um caso deste, sempre quem paga são as crianças, que serão com tyoda certeza adotados por ttaficantes. SSó existe uma solução o Estado abrir casa de recuperaação para viciados, para justamente amanhã essa crianças não serem adotados e não se tornarem marginais, é questão de tomar as devidas atitudes, que todos nós sabemos, mas, depende das autoridades.
 
oscar jose loureiro em 25/05/2011 10:06:01
Agora me diz? onde está os direitos humanos nesta hora?, defender ladrões e presidiarios eles defendem, e pessoas como essa senhora que precisa de ajuda, sempre digo que direitos humanos devem ser para humanos direitos, quero até acompanhar esse caso pra ver como essa senhora vai ser ajudada, pq ela precisa de ajuda mesmo, cade a assistencia social da prefeitura, que é pra isso que pagamos tantos impostos,,,,,,,vamos Brasil acordar pra realidade do País.
 
Aline Melo de Oliveira em 25/05/2011 10:06:00
Acho que deve sim levar essa mulher para tratamento, mas não deve isolar ela das crianças mesmo nas condiçoes que vivem, a falta da mãe é dolorosa, Deus a de iluminar as pessoas responsaveis para que faça o melhor para a mãe e as crianças.
 
selma dos santos em 25/05/2011 09:50:13
A MACONHA É A PORTA DE ENTRADA DE TODAS AS OUTRAS DROGAS, A MAIORIA DOS VICIADOS COMEÇA NELA, DEPOIS ELA VAI FICANDO FRACA NÃO FAZENDO MAIS EFEITO PARTEM PARA COCAÍNA, PASTA BASE ETC .
E AGORA PARA PIORAR A SITUAÇÃO INVENTARAM O ÓXI A MAIS PIOR DE TODAS AS DROGAS CHEGA MATAR ATÉ COM SEIS MESES.
AGORA ME VEM BANDO DE HIPÓCRITAS FAZENDO MANIFESTAÇÃO PARA QUE SEJA LIBERADO A MACONHA.
SÓ QUE A GRANDE MAIORIA QUE ESTÃO FAZENDO ESSE MOVIMENTO, SÃO PESSOAS VICIADAS E QUE TEM UM BOM PODER AQUISITIVO QUE TEM CONDIÇÕES DE COMPRAR O PÃO PARA SEUS FILHOS.
EXISTEM NESSES MANIFESTOS ATÉ GENTE DO MEIO ARTÍSTICO, FORMADORES DE DE OPINIÃO QUE PODIA ESTAR USANDO SUA INFLUÊNCIA POSITIVAMENTE E NÃO DEFENDENDO UMA CAUSA NOCIVA COMO ESSA.

 
João Simões em 25/05/2011 09:37:02
o governo tem a obrigação de cuidar
dessas crianças e dar um tratamento
para a mãe....
 
Ricardo lima em 25/05/2011 09:26:44
Tantos investimentos que os políticos fazem em Campo Grande, somente para aparecer os nomes deles. Porque não investem em um centro médico especializado na recuperação de dependentes químicos? Nosso estado é caracterizado pela extensa fronteira com Paraguay e Bolívia, os quais são os maiores produtores de drogas na região e por consequência, nos afetam drasticamente devido a facilidade p/ o consumo. As facilidades na Legislação, onde o usuário não vem sofrendo punição, tem alavancado a população de narcodependentes em Campo Grande, onde sob os viadutos, pontes e imóveis abandonados, são encontrados grandes grupos altamente nocivos às pessoas de bem. Basta que o poder público construa e dê incentivos, que com certesa instituições religiosas, ongs e afins assumiriam a tarefa que até aqui o Poder Público tém negligenciado e em virtude disso a sociedade paga um preço descomunal e que somente tende a crescer. Aquele que bate carteira ou aquele que usa explosivos para arrombar caixas eletrônicos, estão ligados à inercia do Estado. Desperta sociedade.
 
valter antunes em 25/05/2011 08:58:51
Olá nossas autoridades, vamos olhar com um pouco mais de atenção a essas situações e tentar dar uma vida mais digna pra essa mãe e essas crianças.
 
Orlando Valenzuela em 25/05/2011 08:35:47
Direitos Humanos , onde estão agora?????

Apesar de várias pessoas criticarem, isso é fruto do Sistema, dos Governos.
Que tal ajudar essa pessoa? Que dar 1,2,3, quantas chances forem necessárias, assim como é feito com assassinos cruéis e impiedosos...
 
Higor Rocha em 25/05/2011 08:34:21
Tantos investimentos que os políticos fazem em Campo Grande, somente para aparecer os nomes deles. Porque não investem em um centro médico especializado na recuperação de dependentes químicos? Nosso estado é caracterizado pela extensa fronteira com Paraguay e Bolívia, os quais são os maiores produtores de drogas na região e por consequência, nos afetam drasticamente devido a facilidade p/ o consumo. As facilidades na Legislação, onde o usuário não vem sofrendo punição, tem alavancado a população de narcodependentes em Campo Grande, onde sob os viadutos, pontes e imóveis abandonados, são encontrados grandes grupos altamente nocivos às pessoas de bem. Basta que o poder público construa e dê incentivos, que com certesa instituições religiosas, ongs e afins assumiriam a tarefa que até aqui o Poder Público tém negligenciado e em virtude disso a sociedade paga um preço descomunal e que somente tende a crescer. Aquele que bate carteira ou aquele que usa explosivos para arrombar caixas eletrônicos, estão ligados à inercia do Estado. Desperta sociedade.
 
diandra mello de oliveira em 25/05/2011 07:27:01
Vamos desviar o dinheiro do MAIOR AQUARIO DE AGUA DOCE DO MUNDO, para tratar o povo doente de Campo Grande, governador medico, prefeito medico....será que alguém se importa realmente com a população?Se voce puder faça alguma coisa, vamos fazer alguma coisa e contamos com os jornais para publicar estas calamidades.
 
Rosa Marlene da Silva em 25/05/2011 07:00:08
Sou pai pela segunda vez, meu filho menor tem 05 meses. Entendo o sofrimento da mãe, mas me aborreço em saber que um bebê sofra dessa maneira. O pior é sabemos que esse ainda não é o pior caso. Já ouvi casos em que a criança morreu, com os pais ao lado, dormindo o sono dos drogados. É muito triste.
 
Veto Delgado em 25/05/2011 06:48:27

A mãe drogada e desempregada, pois ninguém quer alguém para trabalhar que seja usuário de drogas, o pai os sustenta com "bicos" e também é usuário, que futuro teriam essas crianças se crescerem num ambiente assim, sem referências, sem educação?
Creio que talvez não seja o melhor para a mãe, ou até mesmo que seja culpa dela, mas com certeza seria melhor para as crianças viverem em um ambiente higiênico, com pessoas aptas para cuidar de menores, ainda mais por ser uma criança pequena, enquanto á mãe se trata após o período de tratamento e com absoluta certeza de recuperação total as crianças seriam devolvidas a mãe.
 
juliana papa em 25/05/2011 05:16:47
Em primeiro lugar quero parabenizar Campo Grande News por esta reportagem, e dizer que e uma vergonha essa cidade não ter um centro de atendimento para dependentes químico que seja gratuito, na nossa cidade precisa URGENTEMENTE de uma clinica e os nossos governadores não fazem nada, isso tudo por que eles não precisam, aposto se alguns deles precisar de uma clinica eles tem dinheiro para pagar as clinica. ATENÇÃO governadores vamos olhar um pouco por essas pessoas, vamos fazer clinicas de recuperação GRATUITA... PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 
Suelen Delmondes em 25/05/2011 05:13:12
agora é a hora dos ilustres e nobres politicos ajudarem, com certeza terão muitas familia nestas condições, afinal, Deus deu a vcs este previlegio de serem politicos, justamente para ajudar essas pessoas,.grana eu sei que tem.
 
vitor eduardo cesar rojas em 25/05/2011 05:01:08
Acho que em vez de todo mundo estar culpando um e outro, porque não aregaçam as mangas e vamos ajudar esta familia e muitas outras? Se tem a fazenda da esperança vamos agilisar, e ver se estão precisando de alguma ajuda tambem na fazenda, se estão em condiões de receber mais gente, tem uma familia ali atras da escola carlos henrique shirader, no conjunto flamboyant, que estão vivendo em estado precário de miséria mesmo, vamos lá acudir antes que seja tarde demais.Se vc não puder ir, não critique quem esta fazendo alguma coisa.
 
LUCIMAR BARBOSA DE OLIVEIRA em 25/05/2011 03:48:01
É complicado, a mãe e o pai são dependentes químicos, dar dinheiro para eles comprarem comida é complicado pois podem comprar droga, dar comida a mãe pode estar tão cansada por causas das drogas que nem vai conseguir acordar para fazer.

O poder publico tem que tomar uma atitude pois pode ocorrer uma tragédia com esta familia ou pior os filhos podem se tornar piores que os pais, como exemplo em casa os filhos seguem os pais nos maus exemplos.
 
Gabriel Junior em 25/05/2011 03:08:08
É realmente uma tristeza essa reportagem, infelizmente não está somente no querer dela largar as drogas, julgarmos é facil, mais somente quem vê ou já viu, presenciou pessoas dependentes desse inferno de vida sabe seus sofrimentos... Essa familia tinha que ser acolhida por alguma instituição publica ou privada, precisam de socorro e amor... mais isso tudo acontece por causa da dificuldade que hj a maioria do povo passa para encontrar um emprego..hj ninguem mais estende a mão a um necessitado, dá pão ao pobre, cobre aquele que esta com frio, acolhe aquele que está sosinho... é cada um por si...Parabenizo o site por essa reportagem, ao invéz de falarmos mal de politicos todos os sites deveriam mostrar nossa realidade e conseguir ajuda aqueles necessitados...
 
Rose Farfan em 25/05/2011 02:13:07
A Secretaria Municipal de Assistência Social deveria entrar em contato com a Igreja Perpétuo Socorro e fazer de tudo para encaminhar essa moça para a Fazenda da Esperança, que pelo visto quer se recuperar. Isto é muito importante, a pessoa querer se recuperar. Já tivemos experiência na família. A Fazenda da Esperança recupera, com fé em Deus, trabalho e junto com a família, fica bem perto, na saída para Rochedo. Não tem mistura. Somente voluntários que fazem o bem.
 
Rosane Mara Pessôa Taveira em 25/05/2011 01:54:58
Enquanto o Governo gasta furtuna para manter os traficantes presos com regalias, esses pobres viciados perdem suas vidas sem tratamento gratuito. Deus abenções essa Familia!!!!
 
Tony Marcelo em 25/05/2011 01:30:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions