A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

13/11/2015 22:32

Mães denunciam que escola em tempo integral só oferece arroz e feijão no almoço

Flávio Paes

Nos últimos cinco dias, portanto desde segunda-feira, a Escola Municipal de Tempo Integral Ana Lúcia Batista de Oliveira, no Bairro Paulo Coelho Machado, só está oferecendo aos 520 anos (crianças da pré-escola até o 5º ano do Ensino Fundamental) bolacha de água e sal com leite no café da manhã e no lanche da tarde, enquanto o cardápio do almoço está restrito a arroz, farofa de fubá e feijão, que eles tiveram de comprar . Os 60 quilos entregues pela Prefeitura (doados pela Conab) foram devolvidos porque não apresentavam condições de consumo. Muitas crianças não se adaptaram ao leite servido nos lanches e tiveram de ser levadas ao médico com problemas de diarréia.

 A  situação foi relatada ao Campo Grande News nesta sexta-feira à noite por mães indignadas com a situação. Segundo Nilce Haibuck, que tem um filho de 4 anos matriculado na pré-escola, depois do anúncio feito prefeito Alcides Bernal de normalização do abastecimento da merenda, o assunto foi esquecido pela mídia, mas na prática o problema continuou.

Há muito tempo a escola não recebe frutas, verduras e foi preciso fazer uma coleta entre os pais para cada um deles levar um quilo de feijão. Ainda restaram desta coleta 38 quilos na dispensa da escola, suficiente apenas para preparar as refeições de três dias de aula da próxima semana.

A presidente da Associação de Pais e Mestres, Valéria Amorim, como os produtos não estão sendo distribuídos, ontem tomou a iniciativa de ir até a Superintendência da Merenda Escolar, usando o próprio carro, na expectativa de conseguir algum suprimento. Acabou só levando alguns pacotes de água e sal, gelatina, sal e óleo de soja, não havia nem arroz em estoque. “Fiquei preocupada, principalmente porque só temos arroz e feijão para uns três ou quatro dias de refeição”. Depois da volta de Bernal no dia 26 de agosto, a escola chegou a pedir aos pais que levassem as crianças para almoçar em casa.

 

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Muito estranho saber disso, porque esses dias fiquei sabendo que uma conhecida de uma amiga minha, que trabalha como merendeira de uma escola da prefeitura, que não me lembro qual, disse a ela que tem sobrado comida na escola em que ela trabalha e como não pode sobrar, elas, as funcionárias, tem levado pra casa, comida pronta, que eu até entendo, porque não se pode mesmo fazer nada com comidas já preparadas, nem doar, nem congelar. Mas também estariam levando as verduras, legumes, frutas e carnes, divididas em porções para cada uma das funcionárias, porque estava "correndo o risco" de estragar... Estranho né? Num lugar sobra e no outro falta? Ou não está havendo a supervisão desse alimento todo e tem faltado para os alunos justamente porque funcionários da escola estão levando pra casa.
 
Mariana Carvalho em 14/11/2015 11:56:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions