A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

10/04/2014 12:16

Menino sofreu estupros durante dois anos em banheiros de escola

Bruno Chaves e Aliny Mary Dias
Suspeitos foram encaminhados à delegacia (Foto: Cleber Gellio)Suspeitos foram encaminhados à delegacia (Foto: Cleber Gellio)

Em depoimento à polícia, o menino de 10 anos que foi estuprado na Escola Municipal Consulesa Margarida Maksoud Trad disse que vem sofrendo violência sexual há pelo menos dois anos. Os abusos começaram quando a vítima tinha oito anos de idade e sempre ocorriam nos banheiros do colégio. O caso ocorreu no bairro Estrela Dalva, em Campo Grande.

Os suspeitos de cometerem as agressões sexuais, três garotos de 13, 14 e 15 anos, também prestaram informações preliminares à delegada Aline Lopes, da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude). Eles negam as acusações.

Conforme a delegada, em conversa preliminar, a vítima disse que era trancada no banheiro com os três garotos. Enquanto o primeiro vigiava a porta, cuidando a aproximação de outras pessoas, o segundo segurava a vítima e o terceiro enfiava os dedos no ânus dela. Os três revezavam as ações.

À tona – A violência sexual sofrida pelo garoto de 10 anos foi descoberta ontem (9), data do último estupro. Conforme a família da vítima, o jovem nunca relatou nenhum episódio de violência.

Depois de mais uma sequência de abusos, o jovem sentiu dores e coceiras no ânus. Ele pediu ajuda para a mãe, que decidiu levá-lo ao posto de saúde. Na unidade, a médica fez exames iniciais e constatou a existência de duas fissuras na região anal.

O laudo preliminar da profissional foi emitido dizendo que o paciente era vítima de violência sexual e precisava passar por exames mais detalhados. Diante disso, a mãe foi com a criança à escola para conversar com a diretora.

A informação do estupro vazou no colégio e causou muita confusão. Diversas mães foram ao local, revoltadas, para tirarem seus filhos do prédio. Após isso, a polícia foi acionada e apreendeu os três suspeitos, apontados pela vítima.

Polícia foi acionada para dar apoio (Foto: Cleber Gellio)Polícia foi acionada para dar apoio (Foto: Cleber Gellio)
Vítima também foi levada à delegacia (Foto: Cleber Gellio)Vítima também foi levada à delegacia (Foto: Cleber Gellio)

Desdobramentos – A delegada Aline Lopes segue ouvindo os envolvidos no caso. Os pais da vítima e dos suspeitos também prestarão depoimentos. Em conversas iniciais, todos eles afirmam desconhecer o caso.
A diretora da escola municipal e os professores também serão intimados para prestar informações. Por enquanto, a gestora escolar não se pronunciou.

A delegada também pediu à Justiça a autorização para a apreensão dos menores suspeitos. Ela precisa desse mandado de apreensão para os garotos de 13, 14 e 15 anos serem encaminhados à Unei (Unidade Educacional de Internação).

Os suspeitos continuam na Deaij e a vítima foi encaminhada ao IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para a realização de exames mais detalhados.



UNEI. KKKKKKKKKKK, PIADA NÉ, SÓ VAO SAIR DE LÁ MAIS MARGINAL AINDA. TEM QUE COLOCAR NA CADEIA PRA GENTE GRANDE, PQ FAZER ISSO SABE, AGORA IR PRA CADEIA NÃO PODE. BRASIL LIXO DE PAÍS.
 
fabiano santos em 14/04/2014 09:18:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions