A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

25/01/2012 17:39

Moradores do Cabreúva reclamam de cena antiga: casas invadidas pela água

Fabiano Arruda e Paula Maciulevicius
Dona de casa limpa água barrenta que invadiu sua casa com a chuva desta tarde. (Foto: Simão Nogueira)Dona de casa limpa água barrenta que invadiu sua casa com a chuva desta tarde. (Foto: Simão Nogueira)

Bastou chover com certa intensidade que moradores do bairro Cabreúva, mais especificamente, na Rua dos Ferroviários, recorrem aos rodos e mangueiras para iniciar um conflito antigo e ingrato: impedir que a água da chuva não entre em casa.

No local, aos fundos do estacionamento da Feira Central, a cena é comum nesta época do ano, relatam.

Katiuscia Vieira, 34 anos, afirma que a água ganha volume e desce com intensidade do estacionamento da Feirona por conta de uma área de declive.

A casa dela foi a mais atingida com a pancada de chuva nesta tarde. O jeito foi, junto com as duas filhas e uma sobrinha, empunhar rodos para tentar livrar a residência da água barrenta.

“A água desce e a boca de lobo não aguenta e estoura toda vez que chove”, conta. “Isto porque foi rápido. É questão de cinco minutos e já enche”.

Na parede da casa é possível ver a marca da altura que a água atingiu, bem como o sofá da sala molhado. Katiuscia garante que, por enquanto, não teve prejuízos significativos, mas lamenta o trabalho de limpeza "antes, durante e depois da chuva”.

Alheio ao clima de preocupação, o filho da dona de casa, de quatro anos, brincava na rua com os pés na água. Perguntado se tinha medo, admitiu que sim. A mãe revela que, basta chover, e o menino chora ao perceber que a chuva invade sua casa.

Funcionária pública conta que, com a chuva de hoje, é a quinta vez que sua residência é invadida pela chuva.Funcionária pública conta que, com a chuva de hoje, é a quinta vez que sua residência é invadida pela chuva.

Pesadelo antigo - Já a funcionária pública Isaura de Castro, 48 anos, que mora numa vila na mesma rua, conta que, com a chuva de hoje, é a quinta vez que sua casa é invadida pela água. Segundo ela, desde mudou para o local, “é um alagamento por ano”.

“Você precisava ver a rua. Não dava para ver o asfalto, coberto de água”, disse nesta tarde.

Ela diz que já perdeu móveis em casos de anos anteriores e que vai esperar os objetos secarem hoje para verificar se houveram perdas.

“Ainda bem que eu estava em casa, pois ia sair. Agora, a principal preocupação é a próxima chuva”, diz.

Além dela, os moradores ao longo da rua limpavam suas residências nesta tarde. O empresário Alaim Vieira de Almeida, empresário, 36 anos, afirmou estar “vacinado”.

Ele comemora sua casa não ter sido afetada nesta tarde. A saída foi improvisar placas de metal e madeira na entrada da casa.

Com os pés no chão, menino observa a chuva no bairro Cabreúva.Com os pés no chão, menino observa a chuva no bairro Cabreúva.
Moradores iniciam limpeza de quintal atingido pela água suja.Moradores iniciam limpeza de quintal atingido pela água suja.
Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...


Gente, mas tbm tem gente que constroi as casas em um burraco e depois não quer que enche, ai fica difícil, olha a casa da moça tem uma escada pra descer, qualquer chuca a água vai entrar.
 
livia moteal em 26/01/2012 09:10:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions