ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  21    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Morto em confronto participava de "julgamento" de casal em tribunal do crime

Policiais encontraram vítimas deitadas no chão e Claudinei atuando como "juiz" do PCC

Por Ana Oshiro e Bruna Marques | 26/11/2021 06:55
Arma, drogas, dinheiro, celulares e soco inglês foram apreendidos no local do confronto. (Foto: Divulgação)
Arma, drogas, dinheiro, celulares e soco inglês foram apreendidos no local do confronto. (Foto: Divulgação)

Foi identificado como Claudinei de Oliveira, 33 anos, o homem que morreu baleado na noite desta quinta-feira (25), em confronto com policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar, no Bairro Jardim Vida Nova, em Campo Grande. Ele estava evadido do sistema prisional.

Claudinei morreu depois que a polícia foi investigar denúncia de que um casal estava refém e sendo "julgado" em tribunal de crime do PCC, dentro de uma residência na Rua José Carlos Medina. Ao chegarem no local, a equipe encontrou o portão aberto e viram um homem correndo para os fundos, foi dado voz de parada, mas ele não obedeceu.

Nos fundos da residência, que estava completamente escuro, os policiais usaram lanternas e flagraram um casal, de 22 e 36 anos, deitado no chão, ao lado dois homens, identificados como Anderson, de 22 anos, e Thiago, 24, segurando um "porrete", perto do muro estava Claudinei, que sacou a arma da cintura.

Sem obedecer a ordem de parada dos policiais, Claudinei fugiu pela lateral da casa e atirou contra a equipe, que revidou. Ao verem que Claudinei estava com vida, os policiais colocaram ele na viatura e levaram até a Santa Casa de Campo Grande, mas ele não resistiu.

Fundos da residência, onde tribunal do crime estava sendo realizado. (Foto: Divulgação)
Fundos da residência, onde tribunal do crime estava sendo realizado. (Foto: Divulgação)

Tribunal do crime - No local do confronto, os policiais interrogaram o casal que estava deitado no chão, eles contaram que haviam sido sequestrados na quarta-feira (24) e ficaram presos em uma casa no Jardim Noroeste, onde foram agredidos e ameaçados de morte por causa de um homicídio, que eles afirmam não terem cometido.

Ontem, os dois foram transferidos para o Jardim Vida Nova, onde também foram agredidos com soco inglês e "porrete", e Claudinei estava ameaçando matá-los com um revólver naquela noite. Segundo o casal, os dois homens, Anderson e Thiago, faziam a escolta para que eles não fugissem e que a todo momento eram agredidos pela dupla.

Dentro da residência, foi encontrado outro homem, identificado como Evandro, de 26 anos. Ele contou que havia acabado de chegar no local, viu que tinha gente nos fundos, mas não desconfiou de nada. Os três homens foram presos.

Ainda no interior da casa foram localizadas e apreendidas várias porções de maconha, pote com moedas e dinheiro trocado e uma balança de precisão, tudo foi encaminhado para a Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico).

O soco inglês e o "porrete" também foram apreendidos, assim como o revólver calibre .22 usado por Claudinei. O caso foi registrado como homicídio decorrente de intervenção policial, associação criminosa, sequestro e cárcere privado, homicídio simples de forma tentada, porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas e evasão de local de custódia legal.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário