A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

10/11/2011 19:01

Mulher passa mal e morre em laboratório de exames na Capital

Ana Paula Carvalho
Segundo diretor clínico, morte foi fatalidade. (Foto: Simão Nogueira)Segundo diretor clínico, morte foi fatalidade. (Foto: Simão Nogueira)

Neuza Hiromi Yoyazaki, de 50 anos, morreu quando se preparava para realizar um exame de ressonância magnética no laboratório Diimagem, em Campo Grande. Ela estava internada desde terça-feira na maternidade Cândido Mariano.

De acordo com o diretor administrativo do laboratório, Odicleves Puks, por volta das 11h desta quinta-feira (10), após colocar a roupa apropriada para realizar o exame, ela começou a passar mal e foi levada para a parte de atendimento de repouso pela equipe técnica.

O laboratório acionou a Quali Salva e a Unimed, a ambulância da segunda foi a que chegou mais rápido. O médico tentou reanimar a mulher, mas ela não resistiu e acabou morrendo no local.

“Em 25 anos de trabalho, nunca passamos por isso aqui no laboratório”, diz o administrador.

De acordo com a prima de Neuza, Lenice Nomoura, de 57 anos, há algumas semanas ela começou a sentir dores abdominais e procurou o médico, mas eles não conseguiram identificar a causa. Desde terça-feira ela estava internada e hoje foi realizar exames que atestariam se o problema de saúde dela era câncer. Hoje, ela chegou ao laboratório de cadeira de rodas. Lenice confirma que a prima nem chegou a fazer o exame.

O corpo foi encaminhado ao SVO (Serviço de Verificação de Óbito Municipal) e será velado no Parque das Palmeiras.



Meus pesames aos familiares. Aproveito para fazer uma observação, é a primeira vez que vejo tal serviço "Serviço de Verificação de Óbito Municipal".
 
silva souza em 11/11/2011 10:11:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions