A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

20/03/2014 09:55

Mulher torturada por 5h30 desiste de processar marido foragido da Justiça

Graziela Rezende

Espancada e torturada por 5h30 após descobrir que o marido era foragido da Justiça, uma mulher de 35 anos desistiu de representar contra ele há poucos dias. O Campo Grande News apurou que, mesmo com a insistência dos policiais da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), a vítima preferiu não denunciar Humberto Siqueira do Nascimento, 35 anos.

No entanto, como ele possuía em aberto um mandado por roubo, cometido no ano de 2010, Humberto ficou preso na Máxima. Neste último caso, a Polícia o prendeu em flagrante na madrugada do dia 28 de fevereiro, quando a delegada Rosely Molina, responsável pelas investigações, concluiu o inquérito policial em 10 dias. Ao Ministério Público, ela ressaltou o agravante da lesão corporal dolosa cometida por ele.

E conforme o depoimento da vítima, ela jamais soube das atrocidades cometidas por ele, mesmo após três anos de casados. Em 2001, ele já havia sido preso duas vezes por roubo, sendo que fugiu e foi recapturado três vezes, de acordo com a sua ficha criminal. Já em agosto do ano passado, a ex-mulher registrou uma ocorrência solicitando medidas protetivas contra Humberto.

Esta outra vítima dizia que, mesmo da cadeia e três anos separados, Humberto a incomodava com ligações e ameaças. Com esta última vítima, porém, a violência doméstica pode não trazer transtorno algum a ele, já que ela preferiu desistir do processo e também da medida protetiva.

Crime – Na noite do dia 27 de fevereiro deste ano, às 10h, teve início a discussão do casal, no bairro Morenão, em Campo Grande. Assim que descobriu um mandado de prisão em desfavor do marido, foragido da Colônia Penal Agrícola, ela pediu a separação. Revoltado, Humberto começou a crueldade, agredindo a vítima com socos, chutes, fios de eletricidade e faca, além de arrastá-la pelos cabelos.

Algo que chamou atenção no depoimento da mulher, é que entre uma agressão e outra, ele ordenou a vítima para ajoelhar no chão e rezar para que o sangue dela não sujasse o cobertor do casal. A mulher chegou a desmaiar e foi acordada com água gelada.

Durante a sessão de horror, Humberto consumiu 10 latas de cerveja e o espancamento só acabou depois que ele dormiu. Antes de pegar no sono, o agressor escondeu os celulares da casa para que a vítima não chamasse a polícia.

Assim que dormiu, a mulher conseguiu pegar um dos telefones e chamar a polícia. Com medo de a viatura acordar o marido, a vítima vestiu uma roupa preta e passou manteiga na janela para abrir o item sem fazer barulho.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


AMOR BANDIDO É IGUAL A NÓDOA DE CAJÚ EM ROUPA BRANCA, NÃO SAI!
 
ITAMAR DA ROCHA BARROS FILHO em 27/03/2014 09:53:37
Como!!! Gosta de apanhar? A coitada esta com medo de perder a vida, com certeza este animal fez ameaças a ela, e esta com medo a coitada. Cabe sim ao MP ver se realmente ela esta sendo ameaçada para não dar continuidade ao processo.
 
GILBERTO P PEREIRA em 20/03/2014 14:48:35
Nossa, passou por tudo isso e não quer denunciar??
É existem mulheres que gostam de apanhar mesmo, afff.
 
Laura Vicente em 20/03/2014 11:48:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions