ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 23º
Na 2ª, loja de material de construção reabre e toque de recolher será às 22h

Capital

Na 2ª, loja de material de construção reabre e toque de recolher será às 22h

Por questão de logística, o reforço no transporte coletivo será a partir de terça-feira

Por Aline dos Santos | 29/03/2020 12:01
Domingo de manhã: a nova 14 de Julho é uma rua vazia e silenciosa no Centro de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)
Domingo de manhã: a nova 14 de Julho é uma rua vazia e silenciosa no Centro de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

Em tempos de novo coronavírus (Covid-19), que há quinze dias muda a rotina de Campo Grande, a segunda-feira (dia 30) terá mudanças. A partir de amanhã, o toque de recolher volta a ser das 22h às 5h. Até hoje, a restrição para ficar na rua começa às 20h.

Também na segunda-feira, serão reabertas as lojas de materiais de construção e ficou autorizado retorno de obras com até 20 operários. “ As lojas de material de construção abrem  a partir de amanhã com regramento de supermercado, sem aglomeração. No salão, só pode ter uma pessoa a cada dez metros quadrados. Ou seja, no salão de cem metros quadrados, só pode ter dez pessoas lá dentro”, afirma o titular da Semadur (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana), Luís Eduardo Costa.

Ainda conforme o secretário, as filas, dentro ou fora das lojas, deverão ter espaçamento de um metro e meio entre as pessoas.

O comércio de rua e shoppings permanecerão de portas fechadas amanhã. Segundo Roberto Oshiro, representante da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande), durante a semana será discutido um plano estratégico com a Semadur para reabertura de outros setores e retomada da atividade econômica. “A atividade econômica permitida é muito pequena, não chega a 20% da quantidade de trabalhadores”, afirma.

Para a retomada do comércio, Oshiro pondera que também é preciso que as pessoas se sintam seguras.

“Tenho dito aos empresários: compensa simplesmente um decreto falar que você pode abrir se não tiver cliente para ir ao estabelecimento consumir ? É preciso acabar com o pânico das pessoas, essa ideia que todo mundo vai morrer, que não tem perspectiva de futuro”.

Segundo o representante da associação comercial, é importante manter a curva de contagio baixa, mas com retomada da atividade econômica.

Ônibus – Prevista para segunda-feira (dia 30), o reforço na linha de ônibus para atender funcionários de farmácias, lojas de construção civil e  operários de obras ficou para terça-feira (dia 31). Até lá, será traçada a logística das linhas de ônibus pela cidade.

“Terá mais ônibus para atender os trabalhadores”,afirmou o prefeito Marquinhos Trad (PSD) neste domingo (dia 29). O prefeito explica que obras de construção civil foram autorizadas a partir de segunda, mas, como empresas estavam em férias coletivas, o retorno de fato deve acontecer em 31 de março. “Terão um dia útil para se organizarem”, afirma.

Em vídeo, o residente do Consórcio Guaicurus, João Rezende, informa o reforço no serviço de transporte urbano a partir de terça-feira para atender trabalhadores da construção civil, farmácias, supermercados e tranporte de cargas.



Lotéricas - Presidente do Sinal/MS (Sindicato do Lotéricos), Ricardo Amado Costa afirma que as lotéricas abrem amanhã (dia 30) em Campo Grande amparadas por decreto do prefeito Marquinhos Trad.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) incluiu no setor como serviços essenciais o que possibilitou, inclusive, a reabertura das lotéricas na sexta-feira. No entanto, a Justiça Federal suspendeu a decisão do presidente.

“O governo recorreu da decisão do juiz do Rio de Janeiro e aqui vale o decreto do prefeito Marquinhos Trad. Isso significa que, observando as regras do decreto. as lotéricas podem abrir”, afirma.

Entretanto, o sindicato informa que não é possível prever quantas das 55 lotéricas de Campo Grande abrirão amanhã. Pois há dificuldade para encontrar os materiais de prevenção exigidos, como as luvas, e alguns empresários optaram por férias coletivas.

Sobre o horário de funcionamento, o decreto estipula das 8 às 18h. Mas, conforme Ricardo, o proprietário também pode optar por abrir as portas mais tarde, como, por exemplo, das 9h às 17h.

As lotéricas empregam 250 pessoas em Campo Grande. Segundo o presidente do sindicato, é impossível calcular o prejuízo do setor diante da quarentena para conter o avanço da epidemia do novo coronavírus. A Capital tem 25 casos confirmados de Covid-19.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário