ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Na delegacia, assassino "confesso" diz que conheceu corretora em aplicativo

Fabiano Garcia Sanches, de 38 anos, contudo, não foi ouvido formalmente ainda e só será interrogado na segunda

Por Anahi Zurutuza e Bruna Marques | 24/05/2024 19:25
A vítima Amalha Cristina Mariano Garcia, 43, e o assassino "confesso", Fabiano Garcia Sanches, de 38 anos (Fotos: Redes sociais e Alex Machado, do Campo Grande News)
A vítima Amalha Cristina Mariano Garcia, 43, e o assassino "confesso", Fabiano Garcia Sanches, de 38 anos (Fotos: Redes sociais e Alex Machado, do Campo Grande News)

Para a Polícia Civil, o assassino “confesso” da corretora de imóveis Amalha Cristina Mariano Garcia, 43, alegou ter “envolvimento” com a vítima e explicou que a conheceu em aplicativo de relacionamento. O caminhoneiro Fabiano Garcia Sanches, de 38 anos, contudo, não foi ouvido formalmente ainda.

Preso no fim da tarde desta sexta-feira (24), por força de mandado de prisão temporária – pedido feito pela delegada Analu Lacerda Ferraz, em sigilo, na madrugada de hoje –, o homem está sob a custódia da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), mas só deve ser interrogado na segunda-feira, dia 27.

Revelações – como o fato do suspeito já ter se envolvido amorosamente com a vítima –podem levar a investigação a tratar o caso como um feminicídio, crime relacionado à violência de gênero. É diferente, por exemplo, de ser apurado como latrocínio (roubo seguido de morte), como divulgou o Batalhão de Choque da Polícia Militar mais cedo.

Mas, como somente o interrogatório em solo policial tem valor para o inquérito, outras definições só serão tomadas a partir de segunda-feira.

Outras prisões - Também nesta tarde, duas mulheres foram levadas até a Deam. Inicialmente, apurava-se a participação delas, o que foi descartado, segundo Analu Ferraz. Elas foram ouvidas e serão liberadas.

“Dos 4 mandados de prisão expedidos, três foram cumpridos. Existe um mandado de prisão temporária em aberto que o sujeito esta foragido. Pedimos a revogação do mandado de prisão duas mulheres, pois ficou comprovado que não têm ligação com crime e o com a receptação do veículo Jeep”, afirmou a delegada à reportagem.

Momento que policiais do Batalhão de Choque levam suspeito da casa dele para a Deam (Foto: Alex Machado)
Momento que policiais do Batalhão de Choque levam suspeito da casa dele para a Deam (Foto: Alex Machado)

Versão dada ao Choque - Mais cedo, o comandante do Batalhão de Choque, tenente-coronel Rigoberto Rocha, deu coletiva de imprensa para informar que haviam prendido o suspeito. O mandado de prisão foi expedido por volta do meio-dia, conforme apurado pelo Campo Grande News.

De acordo com o militar, ao ser abordado por policiais do Choque, dirigindo um caminhão na Avenida Ministro João Arinos, Fabiano Sanches teria confessado o assassinato “imediatamente”. Explicou que havia convidado a corretora para dar golpe em um seguro, mas ela negou e por isso, acabou morrendo.

Rocha afirmou que o Fabiano foi identificado durante as investigações, mas sem dar detalhes. “No local, ele relata que propôs que os dois dessem o ‘golpe do seguro’ usando o carro da vítima, um Jeep Renegade”. A ideia, provavelmente, era comunicar falso furto do veículo, levar para o outro lado da fronteira, vender e também conseguir o dinheiro do seguro.

Como Amalha disse não, Fabiano diz que os dois discutiram e ele passou a agredir a corretora. Depois de algum tempo, o caminhoneiro afirma que colocou Amalha dentro do próprio carro e a levou para a região do porto seco, onde continuou batendo na vítima com um pedaço de pau. Quando ela estava enfraquecida, ainda conforme relatado pelo homem ao Choque, ele a colocou no porta-malas do Jeep Renegade e seguiu por alguns metros.

Retirou a vítima do carro e os dois lutarem, contou Fabiano. Foi então que ele deu o golpe fatal e arrastou o corpo até perto da árvore onde foi encontrado. Aos militares, ele afirmou ainda que saiu do local com o Jeep da corretora e passou o veículo para outra pessoa, ainda não identificada.

Trabalho da perícia na casa do suspeito, no Jardim Centenário (Foto: Alex Machado)
Trabalho da perícia na casa do suspeito, no Jardim Centenário (Foto: Alex Machado)

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias