ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  23    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Na última semana de campanha, procura por vacina contra a gripe ainda é tímida

Flávia Lima | 19/05/2015 13:44
A professora Maria Auxiliadora Bonifácio (esq.) leva a mãe, Pracides Ferreira, para tomar a vacina no posto do Estrela Dalva (Foto:Marcos Ermínio)
A professora Maria Auxiliadora Bonifácio (esq.) leva a mãe, Pracides Ferreira, para tomar a vacina no posto do Estrela Dalva (Foto:Marcos Ermínio)

Próximo do encerramento da campanha de vacinação contra a gripe, prevista para terminar na próxima sexta-feira(22), mães e idosos voltaram a procurar os postos de saúde da Capital em busca da imunização, no entanto o movimento continua tímido. Na Unidade Básica de Saúde do bairro Estrela Dalva, muitas mães levaram crianças e bebês para tomarem a dose da vacina na manhã desta terça-feira (19), mas segundo o gerente da unidade, Maycon Ribeiro, o movimento intenso foi registrado só na primeira semana da campanha, que teve início dia 8.

Apesar da greve dos médicos, o atendimento está sendo feito normalmente, já que as vacinas são aplicadas pela equipe de enfermeiros e o tempo de espera é mínimo. Pela manhã, quem buscou a imunização não esperava mais de 20 minutos.

Precavida, a dona de casa Marinalva Rosa Santana levou a pequena Mariana, de cinco meses, para tomar a dose da vacina, mas foi avisada que o bebê só poderia ser imunizado no próximo mês, devido a idade.

Já a professora Maria Auxiliadora Bonifácio levou a mãe, a aposentada Pracides Ferreira de Menezes, 82, que sofre do Mal de Parkinson,  para garantir a proteção. "Todo ano vai algum profissional da saúde em casa aplicar devido a dificuldade de locomoção dela, mas como até agora não foi ninguém, decidi trazê-la", conta.

Segundo a professora, desde que começou a tomar a vacina, a mãe nunca mais sofreu com gripes durante o ano. Quem também espera a campanha com ansiedade é o aposentado Adonir Inocêncio Oliveira, 60, que rebate as declarações de amigos que se recusam a tomar a vacina com medo de ficarem doentes. Tomo há cinco anos e nunca tive nada. Tinha esquecido do prazo e vim correndo hoje", revela.

O gerente Maycon Ribeiro explica que, caso a pessoa esteja com a imunidade baixa, é possível ficar levemente gripado após tomar a vacina, mas não é uma regra. "É importante a imunização para evitar epidemias", alerta. O aposentado Marciélio Garcia, não conseguiu que a filha Marcela, 10, fosse imunizada. Como sofre de bronquite asmática, a menina precisaria passar por um médico antes, mas com a greve, não foi possível a consulta. "Vou continuar procurando outro lugar", disse.

Metas - Como a meta de imunização, que é de 80%, ainda está na casa dos 36% em todo o país, é possível que a campanha seja prorrogada, segundo Maycon. "Eu recebi orientação para continuar vacinando até segunda-feira (25)", disse.

A vacinação é destinada aos grupos de risco, que somam 185.592 pessoas. Até agora foram 67.867 pessoas imunizadas, entre elas 15.901 crianças de seis a menores de cinco anos, 2.606 gestantes; 3.961 trabalhadores em saúde e 38.938 pessoas acima de 60 anos.

A gerente Técnica do Serviço de Imunização da Sesau, Cássia Tiemi Kanoaka, diz que a vacinação é segura e só é contra-indicada para pessoas que tiveram reações alérgicas em doses anteriores ou que tenham alergia a ovos de galinha e seus derivados. 

No ano passado, Campo Grande conseguiu superar a meta de vacinar 80% do público-alvo. Foram imunizadas 139.002 pessoas, sendo 68.315 idosos, 39.641 crianças, 21.481 trabalhadores em saúde, 6.770 gestantes, 1.241 puérperas e 1.544 indígenas.

A Campanha segue em todas as Unidades Básicas de Saúde, das 7h às 11h e das 13h às 17h.

 

Marcela, que sofre de bronquite asmática, foi ao posto acompanhada pelo pai, mas não conseguiu ser imunizadas porque precisa de liberação do médico. (Foto:Marcos Ermínio)
Marcela, que sofre de bronquite asmática, foi ao posto acompanhada pelo pai, mas não conseguiu ser imunizadas porque precisa de liberação do médico. (Foto:Marcos Ermínio)
Já quem está com a saúde em dia está sendo vacinado normalmente. (Foto:Marcos Ermínio)
Já quem está com a saúde em dia está sendo vacinado normalmente. (Foto:Marcos Ermínio)
Nos siga no Google Notícias