A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

21/11/2015 10:10

Nem apagão faz apostador desistir de maior prêmio da história da Mega

Renata Volpe Haddad e Mariana Rodrigues
Mesmo sem luz por mais de uma hora, apostadores não saíram da fila da lotérica. (Foto: Fernando Antunes)Mesmo sem luz por mais de uma hora, apostadores não saíram da fila da lotérica. (Foto: Fernando Antunes)

Apostadores de Campo Grande formaram fila para garantir os jogos da Mega-Sena que será sorteado neste sábado (21). O prêmio de R$ 170 milhões fez com que muita gente esperasse na fila que se formou, após a lotérica Cantinho da Sorte do bairro Pioneiros, ficar sem luz por quase uma hora.

Vindo de Anhanduí, distante 50 km da Capital, Vandir Jesus de Oliveira, 51 que trabalha com serviços gerais, conta que vem toda semana à Capital para jogar na Mega-Sena. "Tem um ônibus que faz linha circular e a passagem custa R$ 3,50 e eu venho toda semana porque vale a pena garantir a aposta", afirma.

Para o prêmio de hoje, Oliveira vai fazer seis apostas e se ganhar, pretende comprar uma fazenda. "Eu sempre trabalhei em fazenda e vi muito desmatamento e isso prejudica o meio ambiente. Se eu ganhar, vou comprar uma propriedade rural e fazer uma reserva ecológica, plantio de árvores, essas coisas", explica.

O aposentado Sebastião Paes de Amorim, 66, joga há 20 anos e conta que não repete os números. "Teve uma época que jogava os mesmos números, mas como nunca ganhava, agora jogo o que vem na mente", alega.

Questionado sobre o que fazer se ganhar os R$ 170 milhões, o aposentado afirma que precisa pensar. "É muito dinheiro, mas a princípio ajudaria a família e iria viajar para praia ou pescar, para saber onde investir a quantia", reflete.

Reinalda esperou por  mais de uma hora na fila da lotérica e afirmou que se ganhar o prêmio, gostaria de ajudar moradores de rua. (Foto: Fernando Antunes)Reinalda esperou por mais de uma hora na fila da lotérica e afirmou que se ganhar o prêmio, gostaria de ajudar moradores de rua. (Foto: Fernando Antunes)

A auxiliar de serviços gerais, Reinalda Medina Córdoba, 50, conta que sempre joga números aleatórios e o que a fez esperar por mais de uma hora na fila, foi o valor do prêmio. "Se eu ganhar, quero ajudar os moradores de rua, pois muitos deles vem para Campo Grande em busca de emprego e não conseguem, ficando em uma situação difícil", avalia.

Já o movimentador de cargas, João Carlos da Silva, 31, vai apostar uma cartela apenas com números que vieram a mente. "O valor do prêmio é muito alto e os juros que vão render mensalmente, dá para viver sossegado. Se eu ganhar quero comprar uma casa e vou levar minha esposa para viajar, sumir um pouco e depois eu apareço rico", afirma.

Autônomo, Antenor Salvador Siqueira, 46, joga há 10 anos na Mega-Sena e alega que joga os mesmos números há dois anos. "Com o dinheiro do prêmio, eu primeiro vou estabilizar minha vida financeira e gostaria de ajudar os amigos e as pessoas mais necessitadas", conclui.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions