A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

23/07/2014 16:11

Novas erosões e afundamento elevam riscos de acidente em via

Filipe Prado
A erosão está quase alcançando a avenida (Foto: Marcelo Victor)A erosão está quase alcançando a avenida (Foto: Marcelo Victor)

Sem prazo para início das obras, novas erosões do Rio Anhanduí começaram a surgir e ameaçam a Avenida Ernesto Geisel. Além dos buracos que se aproximam da pista, a pavimentação afundou perto do Shopping Norte Sul Plaza e aumenta os riscos de acidentes. 

A estudante Ariadne Benites, 17 anos, mora na região há pelo menos oito anos e entende bem a situação da avenida. Ela criticou as obras que já foram feitas na Ernesto Geisel, porque ainda não deram resultados positivos para os moradores e motoristas.

“Eu acho que eles devem fazer um obra de qualidade. Toda vez eles fazem obras, mas quando vem uma chuva forte, volta a desabar”, afirmou a estudante. Ariadne contou que quase caiu dentro do rio, após passar próximo de uma erosão e a terra se soltar.

Mas os motoristas são os que mais sofrem com as erosões na avenida. No cruzamento da Ernesto Geisel com a Rua da Abolição, na Vila Afonso Pena Junior, uma nova erosão começou a abrir e ameaça chegar ao asfalto. Também uma parte da pavimentação está afundando.

“Eu percebi que tem um buraco. Pra alguém cair ali é tiro e queda”, assegurou o representante comercial Ângelo Dallapria, 31. Como próximo ao desnível há um semáforo, alguns motoristas não sentem transtornos, mas quem passa em uma velocidade mais alta acaba sofrendo um solavanco.

Por conta de um desnível na pista, Bruno Castro de Oliveira, 24 anos, e Fausto Gouto Vasques, 38, morreram na Avenida Ernesto Geisel na tarde do dia 13 de julho deste mês. Segundo informações, o carro estava na Ernesto Geisel e seguia no sentido bairro/centro, quando o condutor perdeu o controle do carro ao passar pelo desnível. O veículo rodou e acabou parando entre a árvore e o portão de uma residência.

Com o forte impacto, os dois corpos foram projetados para a parte traseira e ficaram presos às ferragens. Várias peças do motor e da lataria acabaram espalhadas pela rua.

No cruzamento, o asfalto começou a afundar (Foto: Marcelo Victor)No cruzamento, o asfalto começou a afundar (Foto: Marcelo Victor)

Para Danieli Mitani, 21, dirigir pela avenida já virou sinônimo de medo. “Eu tenho muito medo de passar perto da erosão que se formou na avenida. Qualquer coisa posso cair”, comentou.

Ela sugeriu que fossem colocadas proteções na extensão do rio, para evitar acidentes. “Também acho que devem ser feitas obras com urgência, pois em dezembro volta a chover forte”, apontou Danieli.

Inicialmente, a Avenida Ernesto Geisel tinha seis interrupções. A Prefeitura realizou obras emergenciais e normalizou o tráfego de veículos em quatro pontos. No entanto, dois locais continuam interditados parcialmente.

Conforme a assessoria da Prefeitura, a Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) encaminhou projeto para a Caixa com ajustes de valores de planilhas e alteração de medições da ponte da rua Bom Sucesso. O projeto prevê obras de contenção de enchentes e a recuperação da área degradada do leito do rio Anhanduí.

O município aguarda aprovação do projeto pela Caixa e depende dessa aprovação para abrir processo de licitação das obras. A obra foi orçada em R$ 47 milhões.

Não há previsão de obras emergencial na avenida.

Um coqueiro caiu, por conta da erosão (Foto: Marcelo Victor)Um coqueiro caiu, por conta da erosão (Foto: Marcelo Victor)
Duas pessoas morreram após o condutor perder o controle em um desnível (Foto: Kleber Clajus)Duas pessoas morreram após o condutor perder o controle em um desnível (Foto: Kleber Clajus)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions