A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

22/03/2016 08:21

Números da dengue este ano já são 40% maiores do que em 2015 inteiro

Em 77 dias casos passam de 20,3 mil notificações na Capital

Natalia Yahn
Larvas do Aedes aegypti, mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya. (Foto: Marcos Ermínio/ Arquivo)Larvas do Aedes aegypti, mosquito que transmite dengue, zika e chikungunya. (Foto: Marcos Ermínio/ Arquivo)

Em apenas dois dias, Campo Grande registrou 638 novas notificações de dengue. Entre os dias 16 e 17 de março os casos chegaram a 20.332 notificações – com 466 confirmados e três mortes –, porém no boletim epidemiológico da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), divulgado anteriormente eram 19.694. Em 77 dias - de janeiro até 17 de março -, os números já superaram em 40,7% o total registrado em 2015, com 14.450 notificações.

Já os casos de zika somam 2.839 notificações, com 59 confirmações. Na Capital, 310 gestantes são acompanhadas por conta da doença – 64 tiveram teste positivo para o vírus, 55 este ano. Também são 169 notificações de febre chikungunya este ano, 12 apenas em março, mas os números permanecem estáveis. Os dados foram atualizados na sexta-feira (18), porém divulgados somente hoje (22).

No Estado o último boletim foi divulgado na quinta-feira (17) e apontou 3.492 novos casos notificados de dengue, em apenas uma semana. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) registrou 39.544 notificações da doença e oito mortes este ano em Mato Grosso do Sul. A vítima mais recente foi uma criança de quatro meses, que morreu em Ponta Porã, a 323 quilômetros de Campo Grande. As outras mortes aconteceram em Campo Grande (3), Coxim (1) e Dourados (3). 

Até a semana passada eram 36.052 casos notificados – 4.843 registrados em uma semana – e sete mortes por conta da doença – em Campo Grande, Dourados e Coxim. 

Em Campo Grande as mortes por dengue, confirmadas, foram nos dias 12 e 13 de janeiro e 17 de fevereiro, de pacientes com 8, 16 e 33 anos, respectivamente. Em Dourados os óbitos aconteceram nos dias 2, 17 e 24 de fevereiro, de pacientes com 95, 44 e 77 anos.

A vítima de Coxim, foi Pedro Guilherme Teodoro, 24 anos, que morreu no dia 24 de fevereiro, no HU (Hospital Universitário) de Campo Grande, com a forma mais grave da dengue. Ele foi transferido do município localizado a 260 quilômetros da Capital – onde morava –, e precisou ser entubado assim que deu entrada no PAM (Pronto Atendimento Médico), mas não respondeu ao tratamento e morreu.

A infestação do mosquito Aedes aegypyi – transmissor da dengue, zika e chikungunya – só é considerada baixa incidência em apenas dois dos 79 municípios do Estado, Taquarussu e Inocência.

No boletim anterior o município de Japorã também estava na zona verde, mas agora está na amarela, com média incidência. Outras 63 cidades tem alta incidência do vetor, consideradas na zona vermelha, na semana passada eram 61.

O município com maior incidência de notificações em relação ao número de habitantes é São Gabriel do Oeste, seguido por Alcinópolis, Bandeirantes, Deodápolis e Coxim. A Capital, que até a semana passada ocupada a oitava posição, agora subiu para o sexto lugar.

O boletim também confirmou 195 notificações de chikungunya, com apenas 9 casos confirmados. Além de 1.191 casos notificados de zika, 88 confirmados – 53 em gestantes. Do total de casos confirmados 77 são em Campo Grande.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions