A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

01/06/2011 18:40

Padeiros de Campo Grande podem entrar em greve

Paula Maciulevicius

Empresários estão limitados a oferecer reposição da inflação dos últimos 12 meses, correspondente a 6,3%, segundo a classe

Insatisfação da classe pode levar panificadoras a cruzarem os braços. (Foto: Arquivo)Insatisfação da classe pode levar panificadoras a cruzarem os braços. (Foto: Arquivo)

Os trabalhadores em panificação podem iniciar uma série de paralisações intercaladas nas principais panificadoras de Campo Grande. A greve é resposta a falta de avanço nas negociações salariais, com data base em maio.

Segundo a classe, reunião hoje com o representante do Sindpan-MS (Sindicato da Indústria de Panificação) não teve bons resultados, os empresários estão limitados a oferecer a reposição da inflação dos últimos 12 meses, correspondente a 6,3% do INPCC.

Na proposta de acordo encaminhada pelo Sindmassa-MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fabricação de Massas Alimentícias, Biscoito, Macarrão e Panificação do Estado), o pedido é 15% de reposição, o que elevaria o piso salarial de padeiro, salgadeiro, confeiteiro para R$ 900,00.

Nos demais cargos, como cilindreiro, masseiro e forneiro os salários sobem para R$ 740,00; caixa R$ 655,00; balconista, auxiliar de produção e faxineiro R$ 628,00.

“O percentual é pequeno, pois atualmente o piso de entrada da categoria chega ao mínimo nacional, sem nenhum ganho real de salário”, declarou o representante da classe, Fábio Bezerra Salomão.

Segundo Fábio, nas conversas com o Sindpan-MS, já havia a possibilidade do setor patronal conceder 7% no reajuste, porém as negociações retrocederam. O que leva a entidade a convocar assembleia e encaminhar a indicação de paralisação intercaladas nas panificadoras Pão & Tal, Mais Q Pão, Empório, Tiête, Monte Líbano, Breed Pães, Fornello, Pão Bento, Dico e Saborzito.

Já a proposta patronal institui o piso de R$ 583,90 para balconista, auxiliar de produção e faxineiro; R$ 588,50 para Caixa e R$ 686,94 para padeiro, salgadeiro, confeiteiro; cilindreiro, masseiro e forneiro.

“Existe um descontentamento generalizado da categoria com os baixos salários, pois nas padarias cumpre-se jornada de trabalho estressante e se ganha praticamente o salário mínimo”, comenta o sindicalista.

A entidade representativa de cerca 900 dos trabalhadores do setor em Campo Grande.



eu tambem peso socorro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!.
 
giudete aparecida em 07/02/2012 10:21:07
Trabalhanmos mais de 10 horas por dia,um serviço estressante, recebemos baixo salari, não temos cesta basica,plano de saúde,salunbridade. Pois trabalhamas com quimica que nos prejudica, mesmo assin não temos valor no mercado achoque nos somos escravos pois não temos lazer,porque em nossa folga estamos tão cansados que não coseguimos nos divertir. Os emprezarios poderian se reunir para dar uma melhora na vida dos funcionarios.Por isso a nossa classe de panificação esta extinti poi niguen quer mais ser escravo do trabalho como é trabalhar em padaria. para finalizar todos nos pedimos da classe mais atenção.


SOCORROOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
karoline dias em 08/06/2011 07:15:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions