A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

26/02/2016 07:12

Para levarem R$ 100, ladrões agridem pedreiro com socos durante assalto

Viviane Oliveira e Luana Rodrigues
Pedreiro ficou com vários ferimentos no rosto. (Foto: Marcos Ermínio) Pedreiro ficou com vários ferimentos no rosto. (Foto: Marcos Ermínio)

O pedreiro José da Silva Lima, 57 anos, reagiu a assalto, foi agredido a socos por três bandidos e teve documentos e dinheiro levados. O crime aconteceu por volta das 20h30 de ontem, no Bairro Noroeste, em Campo Grande. 

A vítima seguia a pé para a casa de um amigo na região, quando passava por uma rua, que não se recorda o nome, e foi abordado por três rapazes. “Um deles passou por mim e voltou, enquanto os outros dois vieram pelas costas”, conta.

José estava com um sacola com documentos e cerca de R$ 100 em dinheiro. Ele reagiu e acabou agredido pelo trio e jogado no chão.

Após as agressões, os ladrões fugiram levando a sacola com os objetos do pedreiro. “Não sei se eles estavam armados. Eu reagi por impulso, tentando impedir que levasse minhas coisas”, lamenta.

O pedreiro ficou com vários ferimentos no rosto e com um dos olhos machucados. Hoje de manhã, a vítima foi à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro para fazer o boletim de ocorrência. A polícia recomenda que não se reaja a assaltos, principalmente quando o ladrão está armado.

Agressão - Na última segunda-feira (22), um jovem de 20 anos também foi agredido a chutes e socos no rosto ao tentar impedir que bandidos levassem seu celular, na Rua Tupa com a Avenida Manoel da Costa Lima, na Vila Piratininga. O rapaz seguia na via, quando foi rendido pelas costas por dois homens de bicicleta.

Os bandidos derrubaram a vítima no chão e mandaram que entregasse o celular. Porém, a vítima tentou segurar o aparelho e foi agredido com vários chutes e socos no rosto. Depois das agressões, os assaltantes fugiram levando o celular.

O número de roubos em Campo Grande aumentou 13% de janeiro até agora, na comparação com o mesmo período do ano passado. Em 2016, já foram contabilizados 1.079 e, em 2015, foram 949 casos. Em Mato Grosso do Sul, já são 1.467 ocorrências.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions